Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3671
Title: A construção metafórica da mulher nas capas do "Meia Hora"
Authors: Malta, Flávia Ribeiro Santoro Silva
metadata.dc.contributor.advisor: Vereza, Solange Coelho
metadata.dc.contributor.members: Feres, Beatriz dos Santos
Carvalho, Gisele de
Miller, Inés Kayon de
Espíndola, Lucienne Claudete
Issue Date: 18-May-2017
Abstract: O objetivo geral desta pesquisa é o de contribuir, à luz da teoria sociocognitivista, para a compreensão de como o universo feminino é conceptualizado e representado no discurso do senso comum. Já seu objetivo específico está pautado na investigação do uso, deliberado ou não, de expressões linguísticas metafóricas na construção dessas representações, licenciadas por metáforas conceptuais, empiricamente observadas, como MULHER É ANIMAL, MULHER É COMIDA, MULHER É COISA (MÁQUINA), e CORPO FEMININO É TERRITÓRIO. Para explorar tais objetivos, temos, como objeto de investigação, as chamadas e manchetes das capas do jornal Meia Hora, de circulação diária no Estado do Rio de Janeiro. A partir do corpus selecionado, constituído por seis capas do periódico, procuramos identificar metáforas e metonímias, tanto verbais quanto visuais, tendo como base dois trabalhos de referência: o de Cameron e Maslen (2010), que orienta a identificação das metáforas verbais, e o de Forceville (2008), utilizado como ferramenta de identificação de metáforas não verbais. Identificadas as expressões figuradas, buscamos, a partir de uma análise qualitativo-interpretativista (LÜDKE e ANDRÉ, 1986) e à luz da teoria da metáfora conceptual (LAKOFF e JOHNSON, 1980b[2002]), dentro do paradigma da Linguística Cognitiva (GEERAERTS, 2006), propor as possíveis representações cognitivas, ou seja, metáforas conceptuais, frames e MCIs, que subjazem a tais expressões. Além das expressões metafóricas e de sua base conceptual, são igualmente objetos de análise os efeitos pragmáticos, com ênfase no humor, produzidos pelo uso da linguagem metafórica no contexto dos gêneros analisados, assim como a sua dimensão ideológica, no que diz respeito às representações da mulher em nossa língua e cultura. Os resultados da análise corroboram a hipótese sobre a relevância das metáforas conceptuais e frames, nas representações sobre a mulher, que reproduzem e reificam ideologias patriarcais, que a reduzem a um papel de objeto que tem como função primordial satisfazer o homem nas esferas doméstica e sexual. A análise também evidencia a articulação entre o cognitivo e o discursivo na produção de sentidos, ao mostrar como a linguagem metafórica e metonímica se apropria das condições do próprio gênero discursivo, e como este, por sua vez, é, da mesma forma, em parte, determinado pela natureza da linguagem metafórica, corroborando a visão de Dienstbach (2015) sobre metaforicidade
metadata.dc.description.abstractother: The main aim of this research is to contribute to the understanding of how women are conceptualized and represented in common sense discourse, from a sociocognitive perspective. As to its specific purpose, the research is aimed at the investigation of the use, deliberate or not, of linguistic metaphorical expressions in the construction of particular representations, licensed by conceptual metaphors, which are empirically observed: WOMAN IS AN ANIMAL, WOMAN IS FOOD, WOMAN IS AN OBJECT (MACHINE), and FEMALE BODY IS TERRITORY. In order to explore these goals, the analysis is based on a corpus consisting of six covers of a daily newspaper, from Rio de Janeiro, called Meia Hora, on the basis of which we intend to investigate linguistic and visual metaphors (and metonymies), following two theoretical axes: Cameron and Maslen (2010), which guides the identification of verbal metaphors, and Forceville (2008), used as a tool for the identification of non-verbal metaphors. Through these figurative expressions, we try to identify the possible cognitive representations (conceptual metaphors, frames and ICMs), which underlie them, through a qualitative-interpretative analysis (LÜDKE and ANDRÉ, 1986), oriented by the principles of Conceptual Metaphor Theory (LAKOFF and JOHNSON, 1980b [2002]), as well as by the tenets of Cognitive Linguistics (GEERAERTS, 2006). We also investigate the pragmatic effects of figurative language, with emphasis on the humor produced by the use of metaphorical language in the context of the genres analyzed. Moreover, the ideologies emerging from the data, with respect to representations of women in our language and culture, are also focused. The results of the analysis corroborate the hypothesis on the relevance of conceptual metaphors and frames in women representations, which reproduce and reify patriarchal ideologies that provide women with the role of an object to serve men, both in the domestic and in the sexual spheres. The analysis also evidences the relationship between the cognitive and the discursive dimensions in meaning production, and the way metaphoric and metonymic language can appropriate the discursive genre conditions to generate the intended meaning effects. Finally, we intend to investigate how genre itself is determined by the nature of the metaphoric language, according to the studies of Dienstbach (2015) on metaphoricity
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3671
Appears in Collections:POSLING - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE CORRIGIDA FINAL.pdf9.09 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons