Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3689
Title: Metaforicidade nos gêneros discursivos: a natureza das metáforas e a sua relação com os tipos de discurso
Authors: Hubert, Dalby Dienstbach
metadata.dc.contributor.advisor: Vereza, Solange Coelho
metadata.dc.contributor.members: Cavalcanti, Fernanda Carneiro
Ferreira, Luciane Correa
Siqueira, Maity Guerreiro
Gonçalves Segundo, Paulo Roberto
Issue Date: 23-May-2017
Abstract: Estudos que, ancorados em uma abordagem conceptual (cf. LAKOFF; JOHNSON, 2002 [1980]; LAKOFF, 1993), se ocupam das possíveis relações entre a natureza das metáforas e dos gêneros discursivos são relativamente recentes (cf., por exemplo, ESPÍNDOLA, 2010; STEEN et al., 2010; BERBER SARDINHA, 2011; SEMINO, 2011) e compõem um acervo pouco expressivo em comparação com o estado atual dos campos que tratam desses dois conceitos individualmente. Porém, uma observação mais cuidadosa desses fenômenos aponta para a hipótese de que a relação entre eles pode ser, de fato, sistemática e resultar, inclusive, em determinação mútua. Nessa perspectiva, este trabalho assume o objetivo de explorar essa hipótese, descrevendo e analisando as possíveis relações que poderiam, de alguma forma, se estabelecer entre os gêneros e algo pertinente à natureza da linguagem metafórica – traduzido, nesse caso, na noção de metaforicidade. Para tanto, ele se propõe a (i) investigar diferentes subsídios teóricos que se debruçam sobre os conceitos de gênero, metáfora e, principalmente, metaforicidade; (ii) estabelecer possíveis relações mutuamente determinantes entre a metaforicidade da linguagem metafórica e os tipos de discurso em que ocorre, com base no que se descobre acerca da natureza desses fenômenos; (iii) levantar e analisar dados reais em corpora pertinentes a gêneros diferentes, através da identificação de metáforas nos textos e da interpretação da sua metaforicidade em função de aspectos que caracterizam os seus gêneros; e, enfim, (iv) propor, a partir da exploração teórica feita e das evidências empíricas obtidas, explicações para as relações enunciadas na hipótese central deste trabalho. No que se refere à noção de gênero, particularmente, esta discussão se ancora em estudos de base sociocognitiva desse fenômeno (cf., por exemplo, FILLMORE, 1982; PAPLTRIDGE, 1997; BHATIA, 2004; STEEN, 2011a; VAN DIJK, 2014). Para a noção de metaforicidade, ela se ancora em visões cognitivas (cf. LAKOFF; JOHNSON, ibid.; LAKOFF, ibid.) e cognitivo-discursivas da metáfora (cf., principalmente, GOATLY, 1997; DEIGNAN, 2005; MÜLLER, 2008; STEEN, 2007; VEREZA, 2010a). A investigação referente aos primeiros objetivos deste trabalho mostra que a natureza dos gêneros e a determinação da metaforicidade compartilham diversos aspectos em níveis tanto cognitivo quanto social do uso da linguagem. A descrição e a análise das relações entre esses dois fenômenos revelam que o funcionamento de ambos no discurso, de fato, possuem implicações mútuas. Por um lado, identificam-se indícios de que a metaforicidade da lingua-gem metafórica teria alguma participação na formação do frame dos tipos de discurso em que ocorre e, por isso mesmo, na sua caracterização. Por outro lado, observa-se que o frame de certos gêneros pode intervir, em alguma medida e de alguma forma, na possibilidade de reconhecimento das metáforas presentes nos respectivos textos. A análise da metaforicidade em corpora, por sua vez, lança luz sobre que aspectos dos gêneros discursivos estariam por trás dessas relações. Sendo assim, as explicações que emergem tanto da discussão teórica quanto do levantamento empírico, conduzidos ao longo deste trabalho, embasam a plausibili-dade das relações aqui estabelecidas. O presente estudo oferece, portanto, dados significativos para uma descrição e uma análise mais acuradas dos dois fenômenos abordados, ressaltando, ainda, a importância de se considerar de que maneira os conhecimentos a respeito dos gêneros podem contribuir para um entendimento amplo da natureza e do funcionamento – social e cognitivo – das metáforas e vice versa
metadata.dc.description.abstractother: Few and quite new are the studies that, aligned with a conceptual perspective (cf. LAKOFF; JOHNSON 2002 [1980]; LAKOFF, 1993), address the possible relations between the nature of metaphors and discourse genres (cf., for instance, ESPÍNDOLA, 2010; STEEN et al., 2010; BERBER SARDINHA, 2011; SEMINO, 2011). Nevertheless, a closer look at both phenomena leads to the hypothesis that the relations between metaphors and genres could be systematic and mutually determinative. In an attempt at moving forward the discussion on this issue, this work addresses such a hypothesis, by describing and analyzing possible relations that could somehow be established between genres and a particular aspect of metaphorical language, that is, its metaphoricity. Thus this work aims to (i) explore different theoretical frameworks of genre, metaphor, and, especially, metaphoricity (which, broadly speaking, means the possibility of metaphor recognition); (ii) establish mutually determinative relations between the metaphoricity of metaphorical language and the genres in which it occurs, based on the accounts of both phenomena; (iii) collect and analyze authentic data, by identifying metaphorically used words in corpora of different genres and assessing their metaphoricity on the basis of activation devices; and, finally (iv) propose accounts of the relations established throughout this work, on the basis of both theoretical and empirical evidence demonstrated here. As to genres, this work is aligned with sociocognition-based studies of this phenomenon (cf., for instance, FILLMORE, 1982, PAPLTRIDGE, 1997, BHATIA, 2004; STEEN, 2011a; VAN DIJK, 2014). With regard to the notion of metaphoricity, this work is based on the conceptual theory (cf. LAKOFF; JOHNSON, ibid.; LAKOFF, ibid.), and cognitive-discursive approaches to metaphor (cf., for instance, GOATLY, 1997; DEIGNAN, 2005; MÜLLER, 2008; STEEN, 2007; VEREZA, 2010a). This work demonstrates, at first, that genres and the metaphoricity of metaphorical language relate on both cognitive and social levels and can be mutually determinative. On the one hand, prototypical metaphoricity identified in certain types of discourse instills into the formation of the frame of their genre and, thus, takes part in their characterization. On the other hand, the frame of certain genres somehow constrains the use of activation devices of metaphoricity, affecting the possibility of metaphor recognition in respective texts. The corpus analysis then casts some light on which genre aspects are apt to underlie those relations. Therefore, both theoretical and empirical evidence demonstrated throughout this work can sustain the relations which it eventually establishes. The findings from the present research also provide relevant data for an accurate description and analysis of genres and metaphors. It should be stressed, at last, that metaphor and genre studies should not overlook the contributions of our knowledge of one phenomenon to an overall understanding of the nature and both social and cognitive functioning of the other
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3689
Appears in Collections:POSLING - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese.pdf4.31 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons