Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3991
Title: A voz da comunicação: um meio formal de legitimação das ocupações urbanas
Authors: Fragoso, Mariana Pitasse
metadata.dc.contributor.advisor: Cabral Filho, Adilson Vaz
metadata.dc.contributor.members: Baiense, Carla Félix
Cavalcanti, Mariana
Issue Date: 27-Mar-2017
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Ocupações urbanas
Abstract: Neste trabalho refletimos sobre a comunicação produzida nos movimentos de ocupação urbana e sobre o processo de legitimação movido por ela dentro desses espaços. Nosso objeto de estudo é a Ocupação Contestado, organizada pelas Brigadas Populares em São José, região metropolitana de Florianópolis, e a Ocupação 06 de abril de 2010, estruturada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), em Niterói, no Rio de Janeiro. Nessas ocupações, inúmeros produtos de comunicação são desenvolvidos pelas organizações políticas afim de apresentar os objetivos dos grupos, pedir socorro em momentos de emergência ou rememorar a trajetória das famílias que compõe os movimentos afim de retomar laços perdidos ao longo dos anos. A partir de um mapeamento da comunicação produzida pelas Brigadas Populares e MTST dentro desses movimentos, esta pesquisa discute suas estratégias e efeitos a partir do referencial teórico e de entrevistas com membros das ocupações e das organizações políticas. A análise revela que a comunicação legitima no discurso os movimentos de ocupação e as organizações políticas. Os depoimentos e a forma como a comunicação é estruturada reiteram que esse processo de legitimação acontece através do enquadramento da memória e da divulgação do conteúdo produzido a uma comunidade de interesses comuns, que está estabelecida além do território. Dessa forma, a pesquisa aponta que mais importante do que procurar definições para enquadrar a comunicação produzida nas ocupações urbanas em alternativa, popular ou comunitária, é mostrar sua contribuição para legitimação desses movimentos e apresentar distintas formas de organizar comunicação em espaços periféricos
metadata.dc.description.abstractother: This study reflects on the urban occupation movements communication and on the legitimation process moved by those movements within the occupied space. Our study objects are the Contestado Occupation, organized by Brigadas Populares, in São José, metropolitan region from Florianópolis, and also April 06, 2010 Occupation, structured by Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), in Niterói, Rio de Janeiro, Brazil. Several communication's products are developed by the political organizations in these spaces, in order to present their goals, ask for help in emergency moments, or to remind the trejectory of the families that make the movement. From a mapping of the communication produced by Brigadas Populares and MTST within the occupied spaces, this research discusses the communication strategies and effects, using a theoretical referential and interviews with members of the occupations and the political organizations.The analysis reveals that communication legitimizes through discourse occupational movements and political organizations.The statements and the way that communication is structured reiterate that this process of legitimation happens through the framing of memory and the dissemination of content produced to a community of common interests, which is established beyond the territory. In this way, the study shows that more important than searching for definitions to frame the communication produced in urban occupations as alternative, popular or community, is to expose its contribution to the legitimation of those movements and to present different ways to organizing communication in peripheral spaces
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3991
Appears in Collections:PPGMC - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mariana Pitasse_ dissertação de mestrado.pdf2.08 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.