Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4000
Title: Estudo sobre corrosão e incrustação inorgânica na indústria de petróleo com ênfase no desenvolvimento de um combo comercial para tratamento químico
Authors: Affonso, Bernardo Fernandes
Andrade, Caetano Pinheiro Saramago de
metadata.dc.contributor.advisor: Queiroz Neto, João Crisósthomo de
metadata.dc.contributor.members: Vallejos Carrasco, Alfredo Moisés
Baioco, Juliana Souza
Issue Date: 13-Jul-2017
Abstract: A indústria de óleo e gás é passível de uma série de fenômenos que ameaçam seu funcionamento e segurança. Esses fenômenos podem ser classificados como: destrutivos e improdutivos. Os fenômenos destrutivos são chamados assim, pois colocam em risco direto à segurança da operação e dos trabalhadores envolvidos no processo. Alguns exemplos desse tipo de fenômenos são a corrosão e a produção de H2S. Por outro lado, os fenômenos improdutivos como o próprio nome diz, retardam a produção de óleo. Formação de incrustações inorgânicas, parafinas, asfaltenos são fenômenos improdutivos. Vale ressaltar que caso não tratemos fenômenos improdutivos, podemos gerar sérias complicações no sistema de produção, podendo gerar até mesmo paradas de produção e gastos críticos ao projeto. Neste estudo inicialmente são analisados os diferentes tipos de corrosão, assim como são discutidas as prevenções químicas da corrosão e da incrustação. Depois disso, são discutidas as etapas experimentais do desenvolvimento e validação de um combo anticorrosivo e anti-incrustante. Assim sendo, se avalia a eficiência desse combo comercial, usando como critérios a sua solubilidade e as prevenções da corrosão e da incrustação. Finalmente, serão discutidos aspectos relacionados com a dosagem recomendada para uso em campo.
metadata.dc.description.abstractother: The oil and gas industry is subject to a number of phenomena that threaten its operation and safety. The phenomena can be divided into two major classifications: destructive and unproductive. The destructive phenomena are called this way because they put in direct risk to the safety of the operation and the workers involved in the process. Some examples of destructive phenomena are corrosive phenomena and H2S emission. On the other hand, the unproductive phenomena are phenomena that, as the name says, delay the production of oil. Formation of inorganic incrustations, paraffins, asphaltenes are unproductive phenomena. It is worth mentioning that if we do not treat unproductive phenomena, we can generate serious complications in the production system, which may even generate production stops and critical expenses for the project. In this study, the different types of corrosion are analyzed, as are chemical corrosion and scale preventions. After that, the experimental stages of the development and validation of an anticorrosive and antifouling combo are discussed. Thus, the efficiency of this commercial combo is evaluated, using as criteria its solubility and corrosion and incrustation prevention. Finally, aspects related to the dosage recommended for use in the field will be discussed.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4000
Appears in Collections:TGO - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Bernardo F. Affonso e Caetano P. S. de Andrade.pdf2.64 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.