Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4308
Title: A assistência humanizada no trabalho de parto: percepção das adolescentes
Authors: Vargas, Pricilla Braga
metadata.dc.contributor.advisor: Vieira, Bianca Dargam Gomes
metadata.dc.contributor.members: Vieira, Bianca Dargam Gomes
Alves, Valdecyr Herdy
Sá, Angela Mitrano Perazzini de
Issue Date: 2012
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Vargas, Pricilla Braga. A assistência humanizada no trabalho de parto: percepção das adolescentes. 2012. 66 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, 2012.
Abstract: Atualmente a humanização da assistência obstétrica vem sendo implementada como uma filosofia de trabalho. Queremos ressaltar à gravidez na adolescência, visto que estas geralmente enfrentam grandes dificuldades e transformações neste momento. Desta forma delineamos como objeto de estudo: A percepção das adolescentes sobre a assistência humanizada no trabalho de parto e parto. Os objetivos são: Identificar as percepções das adolescentes em relação á assistência oferecida no momento do seu trabalho de parto e parto e discutir essas percepções com a assistência humanizada preconizado pelo Ministério da Saúde. Este estudo teve uma abordagem qualitativa, do tipo descritivo. O cenário foi o Hospital Maternidade Oswaldo Nazareth na cidade do Rio de Janeiro, em alojamento conjunto para adolescente. Os sujeitos foram adolescentes com idade entre 10 e 19 anos. Estas foram abordadas no puerpério imediato para coleta de dados por meio de observação simples e entrevistas semi-estruturas. O total estudado foi de 8 puérperas de março a abril de 2012. Os resultados foram divididos em categorias temáticas, sendo elas: as percepções das adolescentes em relação á assistência no momento do seu trabalho de parto e parto quanto ao atendimento da equipe de saúde obstétrica, o direito ao acompanhante e as práticas obstétricas instituídas. A discussão apontou para as possibilidades e limites dessa prática. Concluímos que a maioria das adolescentes estudadas acredita ter recebido uma boa assistência, sendo a assistência mais adequada naquele momento, já que culturalmente a sociedade não tem conhecimento de como o trabalho de parto e parto pode ser humanizado e menos medicalizado.
metadata.dc.description.abstractother: Currently the humanization of obstetric care has been implemented as a working philosophy. We want to stress to teenage pregnancy, since they often face great difficulties and changes at this time. Thus we designed as an object of study: Perceptions of adolescents on humanized care in labor and delivery. The objectives are: To identify the perceptions of adolescents in relationship to the assistance offered at the time of labor and delivery, and discuss these perceptions with the humanized recommended by the Ministry of Health. This study was a qualitative, descriptive. The setting was the Maternity Hospital Oswaldo Nazareth in the city of Rio de Janeiro, to stay together for a teenager. The subjects were teenagers aged between 10 and 19 years. These were addressed in the immediate postpartum period for collecting data through observation and semi-simple structures. The total sample was 8 mothers from March to April 2012. The results were divided into thematic categories, namely: the perceptions of adolescents in relationship to assistance at the time of labor and childbirth and the care of obstetric health team, the right to escort and obstetric practices in place. The discussion pointed to the possibilities and limits of this practice. We conclude that most of the adolescents studied believed to have received good care, and the most appropriate assistance at the time, since culturally society is not aware of how the labor and delivery can be humanized and less medicalized.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4308
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Pricilla Braga Vargas.pdf621.1 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons