Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4650
Title: Violência Intrafamiliar: a particularidade do atendimento no Pronto Socorro Municipal de Rio das Ostras
Authors: Gomes, Priscilla Fernandes Vargas
metadata.dc.contributor.advisor: Cruz, Suenya Santos da
metadata.dc.contributor.members: Alves, Hayda
Rosa, Letícia Barros Palma da
Issue Date: 2017
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: O presente trabalho tem como objetivo dar uma contribuição para o debate acerca da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes. Para tal levantamos as situações registradas no Pronto Socorro Municipal nos anos de 2013 e 2015. Para contextualizar tal estudo foram utilizados autores que se identificam com a teoria de Marx, e outros de perspectiva crítica para resgatar as determinações históricas que incidem sobre a violência intrafamiliar, entendendo que este tipo de violência tem a ver com as relações sociais do modo de produção capitalista. E que, portanto, trazem transformações ao longo do tempo na composição das famílias. Resgatam-se algumas particularidades, ressaltando a precarização na política de Saúde no Município, em especial situando o Pronto Socorro acima citado. Foi também realizado um estudo teórico sobre a violência, através de pesquisa documental realizada a partir das fichas SINAN e dos atendimentos realizado nos plantões sociais no pronto socorro. As reflexões feitas corroboram para o debate teórico acerca das políticas públicas que são oferecidas às crianças, adolescentes e suas famílias de forma precarizada, como são as políticas públicas no capitalismo, focadas e voltadas para o controle social o que dificulta qualquer indivíduo de evoluir e se desenvolver. Isto se dá em parte, devido a diversos fatores políticos, sociais e econômicos que não atendem de forma universal às demandas dos trabalhadores. Assim fica posto um grande desafio para o Serviço Social, que é o de assegurar a Assistência à Saúde como direito universal de cidadania embora esteja assegurado em nossa Carta Magna este direito muitas vezes é desrespeito pelo Estado.
metadata.dc.description.abstractother: The present study aims to contribute to the debate about intrafamily violence against children and adolescents. In order to contextualize this study, we used authors who identify with Marx's theory, and others with a critical perspective to rescue the historical determinations that affect intrafamily violence, Understanding that this type of violence has to do with the social relations of the capitalist mode of production. And that, therefore, bring transformations over time in the composition of families. Some particularities are rescued, highlighting the precariousness in the Health policy in the Municipality, especially placing the Emergency Room mentioned above. A theoretical study on violence was also carried out through documentary research carried out using the SINAN files and the attendance carried out in the social shifts in the emergency room. The reflections made corroborate the theoretical debate about the public policies that are offered to children, adolescents and their families in a precarious way, such as public policies in capitalism, focused and focused on social control, which makes it difficult for any individual to evolve. Develop. This is partly due to various political, social and economic factors that do not meet the demands of the workers in a universal way. This poses a great challenge for the Social Service, which is to ensure Health Care as a universal right of citizenship, although it is assured in our Constitution, this right is often disrespected by the State.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4650
Appears in Collections:RGS - Trabalhos de Conclusão de Curso - Rio das Ostras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PRISCILLA FERNANDES VARGAS GOMES.pdf1.23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.