Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4765
Title: Questão social, a filha bastarda de Rio das Ostras e Petróleo seu amante. Uma análise das relações de poder e correlações de força entre os atores presentes na cena municipal
Authors: Pérez, Adriana Aguiar
metadata.dc.contributor.advisor: Brites, Cristina Mara
metadata.dc.contributor.advisorco: Farage, Eblin Joseph
metadata.dc.contributor.members: Marro, Katia
Issue Date: 2-Oct-2017
Abstract: Este trabalho de conclusão de curso pretende analisar a forma pela qual o domínio do poder econômico e a apropriação do poder político em Rio das Ostras (um dos cinco municípios que mais recebem royalties do petróleo no Brasil), interferem diretamente nas condições de vida e trabalho dos cidadãos, principalmente daqueles que dependem das políticas sociais para sua reprodução social. Escolhemos estudar as relações de poder a partir da configuração da propriedade privada, que polariza os homens em proprietários e não proprietários, momento a partir do qual as práticas da exploração do homem pelo homem se intensificam em função do desenvolvimento do modo de produção capitalista. As condições de vida dos explorados tornaram-se cada vez mais precárias e, com o advento do capitalismo os despossuídos ascendem (segundo o viés liberal) à condição de livres proprietários da sua força de trabalho. A intensificação da exploração do trabalho nos centros urbano-industriais, leva os trabalhadores a se identificarem como classe para si, projetando-os para um novo momento de lutas coletivas politicamente organizadas. Desta dualidade de poderes surgem as Políticas Sociais, respostas do Estado às expressões da questão social. No Brasil, as elites dominantes resistem à transição, do escravismo ao capitalismo dependente, da ditadura à democracia. A industrialização ocorre tardiamente em relação aos países de capitalismo central e a classe trabalhadora se desenvolve da massa de escravos libertos e dos imigrantes que foram trazidos para embranquecer a população e “elevar” o Brasil ao status internacional de nação. Na bagagem, os imigrantes trouxeram as ideias anarquistas e comunistas, a questão social deixa de ser caso de polícia e se transforma em caso de política. Getulio, “pai dos pobres” e “mãe dos ricos” institui a CLT e “adota” os sindicatos, dando sequencia à ditadura e à modernização conservadora, pelas quais o Brasil inicia sua industrialização. Em 64 a autocracia burguesa aprofunda a modernização conservadora e o Serviço Social latino americano questiona o seu significado social com o movimento de Reconceituação do Serviço Social, que no Brasil chega à Intenção de Ruptura. Na década de 80 o governo federal constrói em Macaé a sede da Petrobrás, que explora o petróleo da Bacia de Campos. Ocorre uma sequência de emancipação municipalista e em 1993, Rio das Ostras se emancipa de Casimiro de Abreu. Até aqui foram cinco eleições para prefeito, a população que em 1996 era de 28.106 passou a quase 116.134 indivíduos. A per capta hoje está em 46.367,27 ao mesmo tempo em que 13,7% da população contam com menos de meio salário mínimo para sobreviver. Contradição é a categoria que define a relação entre crescimento econômico e desenvolvimento social do município, todos mediados pelas relações de poder, relações que perpassam a vida de todos os sujeitos, desde o Estado em suas três esferas, os proprietários do capital e o coletivo dos trabalhadores. O debate teórico sobre a apropriação do poder econômico e político por parte dos grupos dominantes do município e região é uma das mediações exploradas neste trabalho para apreensão dos serviços prestados no Centro de Reabilitação Laércio Lúcio de Carvalho, local de realização de nosso estágio em serviço social.
metadata.dc.description.abstractother: This work, as a thesis, intends to analyze the way the domination of economic power and appropriation of the political power in Rio das Ostras (one of the five municipal districts which receives more royalties of oil in Brazil) and that economic power interfere directly in the lives’ conditions and work of citizens, principally the ones who depend on the social politics for their social reproduction. We have chosen to study the interrelationship of power from private property which polarizes the men in owners and not-owners. From that moment the exploration from a man to another man is intensified according to the developing of capitalist production style. The lives’ conditions of the exploitable people became more and more precarious and with the coming of capitalism, the poor people arise (according to liberal point of view) to a free owners of their own work. The great exploration of work in the industrial-areas makes the workers to identify themselves as a class, projecting themselves for a new moment of politically collective organized fights, since duality of powers arises the social politics (social assistance) answers from the State to all the social affairs, in Brazil, the dominant elites avoid the transition from slavery to dependant capitalism, from dictatorship to democracy. The industrialization occurs very late in relation to countries of central capitalism and the working class is created from free slaves and immigrants who were brought to “whiten” the population and “elevate” Brazil to an international status of a nation. In their baggage the immigrants brought anarchist and communist ideas. The social affair was not a “police case” but it was transformed in a “political affair”. Getúlio Vargas, “father of the poor” and “mother of the rich” created CLT and “adopted” the syndicates giving a kind of sequence to the dictatorship and a “conservative modernization”, by means of which Brazil starts its industrialization, in 1964 the bourgeois autocracy profounds in a “conservaty modernization” and the Latin American Social Assistance questioned the meaning with a movement of “reclassification of Social Assistance” that in Brazil gets “Intention of Rupture”. In the eighties the federal government built Petrobrás in Macaé that drills oil (petroleum) in the Campus Basin. There was a municipal emancipation and in 1993 Rio das Ostras emancipated from Casimiro de Abreu. There were five elections for Mayor, a population in 1996 were 28.106 and got nearly 116.134 citizens. The per capta today is in 46.367,27 at the same time that 13,7% of population have less than half a minimum salary to survive. The Contradiction is the category which defines the relationships between the economical growth and the social developing in the municipality (municipal district), all of them mediate by power relational ship which passed by the life of all the people from the State in its three parts, the owners of capital and the collective from workers. The theorical debate on appropriation of economical and political power by the dominant group of the municipal district and region is one of the mediation explored in this thesis for apprehension of service given in the Rehabilitation Center Laércio Lúcio de Carvalho, place where we put into practice our training in Social Assistance.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4765
Appears in Collections:RGS - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Adriana.pdf1.53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.