Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4852
Title: A maternidade na adolescência: a vivência de jovens em comunidades de Niterói/RJ
Authors: Silveira, Maíra Valladão da
metadata.dc.contributor.advisor: Marques, Dalvani
metadata.dc.contributor.members: Marques, Dalvani
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Silveira, Maíra Valladão da. A maternidade na adolescência: a vivência de jovens em comunidades de Niterói/RJ. 2013. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, 2013.
Abstract: A adolescência compreende uma fase de passagem da infância para a vida adulta, entre 10 e 19 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), assim como o Programa de Saúde do Adolescente - PROSAD. Estar na adolescência significa viver múltiplas mudanças, sendo uma delas a gravidez na adolescência, que significa a transformação das fases da vida, englobando-as e adquirindo um novo significado, na infância, adolescência e na vida adulta, sendo identificado um processo de construção de uma nova identidade, ou a reconstrução da identidade, e que essa nova atitude do ser pese outros elementos, como o planejamento familiar. Como questões norteadoras, questionamos como as adolescentes vivenciam a gravidez e a maternidade e quais suas expectativas em relação às suas vidas e às vidas de seus filhos. O objeto do estudo foram as adolescentes grávidas dos bairros do Caramujo e Morro do Céu, em Niterói/ RJ e tivemos como objetivo conhecer a vivência dessas adolescentes. Foi justificado pela necessidade de conhecer o universo em que vivem as adolescentes grávidas e quais seus anseios e expectativas para o futuro, a fim de, com essas informações, definir estratégias de educação em saúde para essa população visando auxiliar positivamente em suas escolhas e suas visões sobre um assunto tão complexo como a gravidez na adolescência. A caracterização foi feita a partir de uma investigação do tipo descritiva com abordagem qualitativa, constituiu-se como cenário as áreas de abrangência da Policlínica do Caramujo e da unidade de PMF do Morro do Céu e os participantes do estudo foram 20 adolescentes grávidas em 2011, até o momento da coleta de dados, ou que engravidaram no ano de 2010. A coleta de dados foi feita com a técnica “Bola de Neve” e realizada entre abril e junho de 2011, através de entrevistas semi-estruturadas. O estudo foi submetido ao Comitê de ética e aprovado com o número: CEP CMM/HUAP nº 299/2010. Nos resultados, percebemos que não é a ausência de informações ou a dificuldade de acesso a métodos anticoncepcionais que levam a estas adolescentes a engravidarem, pois a maioria desejou a gravidez. Através das falas das meninas também notamos que a gravidez nesta fase da vida, trouxe para estas mudanças importantes, nas quais alteraram seu padrão de vida, porém, dando a estas um perfil mais amadurecido. A partir da visão destas, a sociedade passa a olhar para ela não mais como uma criança, mas como uma mulher com responsabilidades. Concluímos que a adolescência gera mudanças significativas no relacionamento familiar e social, ocorrendo nessa fase vários fatores que contribuem para o amadurecimento do jovem e preparando-os para a vida adulta. Identificamos que a gravidez na adolescência não é um evento inesperado ou isolado, já que algumas adolescentes estavam na segunda gestação ou mais. Ficou-se evidente o importante papel dos profissionais de saúde na atenção primária como educadores de saúde e agentes de empoderamento no que se refere à atenção da gravidez na adolescência, aprendendo a lidar e entender o contexto em que essas meninas vivem.
metadata.dc.description.abstractother: Adolescence comprises a phase of transition from childhood to adulthood, between 10 and 19 years, according to the World Health Organization (WHO) and the Program for Adolescent Health - PROSAD. Being a teenager means living multiple changes, one of teenage pregnancy, which means the transformation of the phases of life, including and acquired a new meaning, in childhood, adolescence and adulthood, identified a process of building a new identity, or identity reconstruction, and that this new attitude of being weigh other factors such as family planning. As guiding questions, we question how adolescents perceive pregnancy and motherhood, and what their expectations regarding their lives and the lives of their children. The object of the study was pregnant teenagers from Caramujo and Morro do Céu municipality in Niterói / RJ and we aimed to know the experiences of these adolescents. Was justified by the need to know the universe they live in pregnant adolescents and what their desires and expectations for the future, so, with this information, strategies of health education for this population in order to positively assist in your choices and your visions on a subject as complex as teenage pregnancy. The characterization was made from a type of descriptive research with a qualitative approach, it formed a scenario the coverage areas of the Caramujo Polyclinic and the unity of the Morro do Céu PMF and the study participants were 20 pregnant teenagers in 2011 until the time of data collection or who became pregnant in 2010. Data collection was made with the technique "Snowball" and held between April and June 2011, through semi-structured interviews. The study was submitted to the Ethics Committee and approved with the number: CEP CMM / HUAP No. 299/2010. In the results, we realized that there is a lack of information or lack of access to contraceptive methods that lead to these teens get pregnant because most desired pregnancy. Through the testimonies of the girls also noticed that pregnancy at this stage of life, brought these important changes, in which altered their standard of living, however, and give them a profile more mature. From the sight of these, society begins to look at it not as a child, but as a woman with responsibilities. We conclude that adolescence produces significant changes in family and social relationships occurring in this phase that several factors contribute to the maturation of the young and preparing them for adulthood. We found that teenage pregnancy is not an unexpected event or isolated, since some teenagers were in their second pregnancy or more. It became evident to the important role of health professionals in primary care as health educators and agents of empowerment with regard to the attention of teenage pregnancy, learning to cope and understand the context in which these girls live.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4852
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Maíra Valladão da Silveira.pdf241.63 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons