Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4929
Title: Raciocínio abstrato, psicologia de Jung e ensino de física
Authors: Daudt, Josiel do Nascimento
metadata.dc.contributor.advisor: Souza, José Antônio e
metadata.dc.contributor.advisorco: Machado, Núbia Pedroza
metadata.dc.contributor.members: Souza, José Antônio e
Machado, Núbia Pedroza
Costa, Eden Vieira
Serbeto, Antonio de Pádua Brito
Issue Date: 2015
Abstract: Nesta monografia tentamos investigar as origens da evidente reação negativa da maioria das pessoas ao estudo de assuntos que exigem, mesmo em nível elementar, o uso do raciocínio abstrato (RA), como a Matemática, a Química e, principalmente, a Física. Após uma aplicação dos testes de RA constantes da bateria de testes BPR5 (de uso sancionado pelo Conselho Federal de Psicologia), sob a supervisão de uma psicóloga, a uma amostra relativamente pequena, mas bastante variada de alunos de diferentes séries do Nível Médio, todos da Rede Pública de ensino, constatamos, pelo menos dentro dos limites da nossa amostra, que o desempenho dos estudantes neste teste não diferia muito da média brasileira atualmente usada como padrão, o que indicaria não haver dificuldade significativa para a maioria dos alunos para raciocinar abstratamente. Deste modo, a reação dos alunos à Matemática e à Física nos pareceu, em grande parte, emocional, e decidimos fazer uma análise baseada na Psicologia Analítica, a teoria criada por C. G. Jung. Concluímos, em primeiro lugar, que, os alunos das Licenciaturas deveriam ter um melhor preparo em Psicologia, cursando pelo menos duas cadeiras desta disciplina, ao invés de uma como acontece atualmente. Em segundo lugar, achamos que a Psicologia Junguiana, devido a sua grande abrangência, pode ser uma ferramenta valiosa na compreensão e na tentativa de obter soluções dos problemas emocionais que podem causar, pelo menos em grande parte, esta rejeição à Física.
metadata.dc.description.abstractother: En este trabajo habemos nosotros intentado investigar las orígenes de la evidente reacion negativa presente en la major parte de los indivíduos quando se piede que estudien subjectos que envolvem, miesmo que sea en nível elemental, la utilizacion del raciocínio abstrato(RA), de que son exemplos las Matemáticas, la Química e, en el caso deste trabajo, la Física. Empezamos aplicando los testigos de RA inclusos en la coleccion BPR5(cuya utilizacion queda sancionada por el Consejo Federal de Psicologia brasileño), bajo la supervision de uma psicóloga, a uno conjunto de estudiantes del Nível Intermédio. Nuestra muestra há sido tica, mas la variedad há sido todavia mui grande. Nuestros resultados indicam que, dentro de los limites de nuestro universo muestral, los estudiantes non estan muy lejos del resultado promediado patrón utlizado en Brasil, indicando que los alumnos testados non deberiam tener ninguna gran dificultad em emplear el RA. Arribamos entonces a la conclusion que el bloqueo mental de los alumnos debe ser, en gran parte, emocional, e esto nos há conducido a intentar un análisis con basis en la Psicologia Analítica, la teoria psicológica desarollada por C.G.Jung. Nuestra primera conclusion há sido que los estudiantes de los cursos de formacion de professores del Nível Intermédio deberiam tener, en sus currículos, dos disciplinas de Psicologia, al invés de uma, como queda acontecer hoy. La segunda há sido que la Psicologia Junguiana, debido a su mayor alcance, puede ser una hierramienta muy útil para el intento de comprender e solucionar estes problemas emocionales, que puedem, por lo menos en gran parte, ocasionar repulsion a la Física de parte de los alumnos.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4929
Appears in Collections:IFF - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Josiel Daudt.pdf2.28 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.