Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4958
Title: O conceito de rede para os profissionais da atenção ao paciente com transtorno mental: em busca dos dispositivos de cuidado
Authors: Bermudez, Karina Moraes
metadata.dc.contributor.advisor: Batista, Rodrigo Siqueira
metadata.dc.contributor.members: Batista, Rodrigo Siqueira
Silva Júnior, Aluísio Gomes da
Palácios, Marisa
Alves, Marcia Guimarães de Mello
Issue Date: 2017
Abstract: O presente trabalho objetivou analisar os sentidos e as aporias que são atribuídos ao conceito de rede de atenção pelos profissionais de saúde e identificar como eles, ao se apropriarem desse conceito, o transformam em trabalho vivo na produção do cuidado. Profissionais esses envolvidos na produção do cuidado aos pacientes com transtorno mental em diferentes níveis de atenção. Com base nos novos pressupostos da reforma psiquiátrica, tendo a atenção psicossocial como direção de trabalho, pretendeu-se também revisar a legislação referente às políticas públicas de saúde no que tange à Rede de Atenção a Saúde, mantendo o foco na Rede de Atenção Psicossocial e, dessa forma, entender o conceito, problematizar o conceito e colocar em análise as práticas de cuidado. Esta questão é o que motiva a realização desta pesquisa como também expressa um movimento permanente da pesquisadora atravessado por erros e vieses, por construção e desconstrução, pela sustentação de um trabalho clínico ético e uma organização de funcionamento dos serviços que favoreça a assistência, o acolhimento, o acesso e o cuidado integral. O percurso metodológico constou de uma abordagem qualitativa, com entrevistas mediadas pelo uso de situações problemas dos profissionais da saúde. Os dados serão apreciados pela análise de conteúdo de Bardin. A pesquisa foi realizada em quatro serviços de saúde de um município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro – um Centro de Atenção Psicossocial II de adulto (CAPS), um Ambulatório Ampliado de Saúde Mental, um Serviço de Emergência Psiquiátrica em nível hospitalar e uma unidade de Atenção Primária à saúde. Os participantes do estudo incluíram 13 profissionais de saúde de diferentes categorias que trabalham nas unidades de saúde mencionadas acima. Após a análise das entrevistas emergiram três categorias de análise, as quais foram nomeadas: (I) Sentidos de uma rede de cuidado: conceituação e características; (II) Meios operadores para a construção de uma rede de cuidados – construção da prática; e (III) Propostas para minimização das dificuldades e efetivação de uma rede de cuidados. Cada uma delas foi expressa pelos conceitos norteadores e delas emergiram as seguintes subcategorias: Trabalho em rede, Redes de Apoio, Conflito, Continuidade do Cuidado, Assistência Integral, Cuidado Compartilhado, Processo de Formação, Espaços Amplos de Discussão, Organização do Trabalho. Foi possível concluir, então, que os profissionais expressam diferentes conceitos de rede, com isso agem de modo singular na produção do cuidado, mesmo estando sob a mesma diretriz normativa. Os resultados apontam que mesmo com todas as novas formas de possibilitar o cuidado como efeito da Reforma Sanitária e da Reforma Psiquiátrica, legitimadas no campo político e normativo, ainda se observa na prática cotidiana do trabalho em saúde com a reprodução da fragmentação e das barreiras ao acesso, as quais dificultam a trajetória do paciente pela rede assistencial. Esforço diário torna-se necessário para sustentação do cuidado ao usuário com transtorno mental, para que ele seja comprometido, implicado, integral e articulado em rede
metadata.dc.description.abstractother: The present work objected to analyze the senses and aporias that are attributed to the concept of care network by health professionals and to identify how they, by appropriating this concept, transform it into living work in the production of care. Professionals involved in the production of care for patients with mental disorders at different levels of attention. Based on the new presuppositions of the psychiatric reform, with psychosocial attention as the direction of work, it was also intended to review the legislation regarding public health policies with regard to the Health Care Network, maintaining the focus in the Network of Psychosocial Care, In this way, to understand the concept, to problematize the concept and to analyze the practices of care. This issue is what motivates the realization of this research as well as expresses a permanent movement of the researcher crossed by errors and biases, by construction and deconstruction, by the support of an ethical clinical work and an organization of functioning of the services that favors the assistance, the reception, access and integral care. The methodological course consisted of a qualitative approach, with interviews mediated by the use of problem situations of health professionals. The data will be appreciated by Bardin's content analysis. The research was carried out in four health services of a municipality of the metropolitan region of Rio de Janeiro- an Adult Psychosocial Care Center II (Caps), an Expanded Mental Health Clinic, a psychiatric emergency service at the hospital level and a unit of primary health care. The study participants included 13 health professionals from different categories working in the health units mentioned above. After analyzing the interviews, three categories of analysis emerged, which were named: (I) Sense of a network of care: conceptualization and characteristics; (II) Means operators for the construction of a network of care - construction of the practice; And (III) Proposals to minimize the difficulties and make a network of care effective. Each of them was expressed by the guiding concepts and they emerged from the following subcategories: Networking, Support Networks, Conflict, Continuity of Care, Comprehensive Care, Shared Care, Training Process, Large Spaces for Discussion, Work Organization. It was possible to conclude, then, that professionals express different concepts of network, with this they act in a singular way in the production of care, even though they are under the same normative guideline. The results point out that even with all the new ways of enabling care as an effect Sanitary Reform and Psychiatric Reform, legitimized in the political and normative field, is still observed in the daily practice of health work with the reproduction of fragmentation and barriers to access, which make it difficult for the patient to traverse the care network. Daily effort becomes necessary to sustain the care of the user with mental disorder, so that it is committed, implicated, integral and articulated in a network
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/4958
Appears in Collections:PPGSC - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO KARINA BERMUDEZ.pdf1.33 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons