Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/5461
Title: Avaliação dos níveis de formas solúveis do receptor de produtos finais de glicação avançada em pacientes com diabetes mellitus tipo 2
Authors: Bensusan, Christiane de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor: Taboada, Giselle Fernandes
metadata.dc.contributor.advisorco: Lima, Giovanna Aparecida Balarini
metadata.dc.contributor.members: Taboada, Giselle Fernandes
Issue Date: 2017
Abstract: Introdução: O Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) representa um importante problema de saúde pública, considerando sua grande morbi/mortalidade, decorrente das complicações crônicas da doença. A formação de produtos finais de glicação avançada (AGE) representa um dos diversos mecanismos fisiopatológicos implicados na gênese das complicações do DM2. Através da ligação dos AGE com os seus receptores teciduais (RAGE) vias intracelulares são ativadas, levando ao aumento da resposta inflamatória e à indução de estresse oxidativo, que culminam com as complicações micro e macrovasculares do DM2. Por outro lado, há um pool de RAGE solúveis (sRAGE), constituído por variantes do RAGE (esRAGE e cRAGE), com capacidade de interagir com os mesmos ligantes do RAGE tecidual, sem, entretanto, desencadear a transdução do sinal intracelular após a sua ligação. Dessa forma, o sRAGE funcionaria como um fator protetor para o desenvolvimento das complicações crônicas do DM2. No entanto, a associação entre os níveis de sRAGE com a presença de complicações micro e acrovasculares do DM2, assim como a associação entre os níveis de sRAGE com o grau de controle glicêmico, não está bem estabelecida, já que os trabalhos existentes na literatura mostram resultados divergentes. Objetivos: O presente estudo visou compreender melhor as correlações entre os níveis de sRAGE, as complicações crônicas do DM2 e o controle glicêmico, através da avaliação de pacientes DM2 acompanhados no Hospital Universitário Antônio Pedro. Métodos: Foram incluídos 89 pacientes DM2, 43 com complicações e 46 sem complicações. Cada um desses dois grupos pacientes foi subdividido, de acordo com o controle glicêmico, em outros 3 subgrupos. Os pacientes foram submetidos a uma avaliação clínica e laboratorial, com dosagem de sRAGE e hemoglobina glicada. O sRAGE foi mensurado no soro dos pacientes utilizando-se o teste imunoenzimático ELISA. Resultados: Não foi encontrada diferença estatisticamente significativa nos níveis de sRAGE plasmático entre os pacientes DM2 com e sem complicações microvasculares do DM2, bem como não foi constatada correlação do sRAGE com o controle glicêmico. Conclusão: Novos estudos são necessários para melhor elucidar os mecanismos envolvidos na produção e regulação da concentração das formas solúveis do RAGE e esclarecer a relação de causa-efeito entre os níveis séricos do sRAGE e as complicações crônicas do DM2
metadata.dc.description.abstractother: Background: Type 2 diabetes mellitus (T2DM) is a major public health problem, considering its high morbidity and mortality due to chronic complications. The formation of advanced glycation end products (AGE) is one of several pathophysiological mechanisms involved in the development of complications of T2DM. By binding of AGE with its tissue receptors (RAGE), intracellular pathways are activated, leading to increased inflammatory response and the induction of oxidative stress, which culminate in the micro and macrovascular complications of T2DM. Moreover, there is a pool of soluble RAGE (sRAGE) consisting of variants of RAGE (esRAGE and cRAGE), with ability to interact with the same tissue RAGE ligands, without, however, trigger the intracellular signal transduction after binding. Thus, sRAGE would behave as a protective factor for the development of chronic complications of T2DM. Nevertheless, the association between sRAGE levels with the presence of micro and macrovascular complications of T2DM, as well as the association between sRAGE levels with the degree of glycemic control, is not well established, since the studies in the literature show divergent results. Objectives: This study aimed to better understand the correlations between the levels of sRAGE, the chronic complications of T2DM and glycemic control, through the evaluation of T2DM patients treated at University Hospital Antônio Pedro. Methods: A total of 89 T2DM patients were included, 43 with complications and 46 without complications. Each of these two groups was divided according to glycemic control, in other 3 groups. The patients underwent a clinical evaluation and laboratory, dosing sRAGE and glycated hemoglobin. sRAGE was measured in serum of patients by ELISA. Results: No statistically significant difference was found in plasma sRAGE levels between T2DM patients with and without microvascular complications, as well as no correlation between sRAGE and glycemic control. Conclusion: Further studies are needed to better elucidate the mechanisms involved in producing and regulating the concentration of soluble forms of RAGE and to clarify the cause-effect relationship between serum levels of sRAGE and the chronic complications of T2DM
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/5461
Appears in Collections:PPGCM - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CHRISTIANE BENSUSAN.pdf1.93 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons