Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/5478
Title: Adesão de pacientes com insuficiência cardíaca à farmacoterapia: as experiências de dois centros clínicos especializados
Authors: Camuzi, Ranieri Carvalho
metadata.dc.contributor.advisor: Castilho, Selma Rodrigues de
metadata.dc.contributor.advisorco: Mesquita, Evandro Tinoco
metadata.dc.contributor.members: Matos, Guacira Correa de
Retto, Maely Fávero
Elias, Sabrina Calil
Pontes, André Teixeira
Issue Date: 11-Jan-2018
Abstract: A insuficiência cardíaca (IC) é uma síndrome prevalente que, apesar dos avanços no tratamento, acarreta significativa morbidade e mortalidade. Estudos demonstram que a não adesão ao tratamento é uma importante causa de resultados insatisfatórios na terapia, descompensação no quadro clínico, internação e óbito. Acreditando-se que a efetiva inserção do farmacêutico na assistência, mesmo na dispensação convencional, seria capaz de promover maior adesão, tevese por objetivo avaliar como dois modelos de atuação farmacêutica impactam sobre a adesão à farmacoterapia em pacientes com IC com fração de ejeção reduzida assistidos em dois centros clínicos especializados da rede pública de saúde. O trabalho foi organizado em duas partes. A primeira parte foi um estudo prospectivo com análise transversal de dados de pacientes com ICFER acompanhadas por uma equipe multidisciplinar, no momento da inserção do profissional farmacêutico nessa equipe e após 4 meses, com orientação farmacêutica por demanda do paciente. A segunda parte é a análise transversal de um estudo prospectivo que realizou acompanhamento farmacoterapêutico com pacientes de outro centro clínico especializado, por 4 meses. Foram incluídos respectivamente 38 e 31 pacientes. Nos dois grupos, observou-se maioria de homens, com predomínio de IC leve a moderada, polimedicados e tratando duas ou mais comorbidades, utilizando combinação de betabloqueador, inibidores da enzima conversora da angiotensina e/ou antagonistas dos receptores da angiotensina, antagonista da aldosterona e diurético. Na primeira parte do estudo, observou-se associação de maior número de comorbidades, maior gravidade e polifarmácia com boa adesão. Na segunda parte, verificou-se associação de idade maior, viver sem cônjuge e com menor número de pessoas no mesmo lar, razão de posse de medicamentos e razão para não tomar o medicamento com a adesão. Os resultados sobre adesão melhoraram nos dois grupos, ao final do estudo, embora sem significância estatística. Na segunda parte observou-se melhora estatisticamente significante no nível de conhecimento da prescrição, na razão de posse de medicamentos e na autoavaliação de saúde. Não foi possível observar melhora significativa na adesão, porém verificaram-se melhorias significativas em fatores associados à boa adesão. O limitado número amostral exigirá cautela na extrapolação dos resultados
metadata.dc.description.abstractother: Heart failure (HF) is a prevalent syndrome that, despite advances in treatment, causes significant morbidity and mortality. Studies show that nonadherence to treatment is an important cause of unsatisfactory results in therapy, decompensation in the clinical condition, hospitalization and death. Believing that the effective insertion of the pharmacist into the patient care would be able to promote greater adherence, even in the conventional dispensation, the objective of this study was to evaluate how two models of pharmaceutical services impact on adherence to pharmacotherapy in patients with HF with reduced ejection fraction, assisted in two specialized clinical centers of the public health network. The study was organized in two parts. The first was a prospective study with cross-sectional of data from patients assisted by a multidisciplinary team, at the time of insertion of the pharmacist in this team and after 4 months, with pharmaceutical orientation by patient demand. The second part is a cross-sectional analysis of a prospective study that carried out pharmacotherapeutic follow-up with patients from another specialized clinical center for 4 months. Thirty-eight and 31 patients were included respectively. In the two groups, was observed majority of men, with a predominance of mild to moderate HF, polymedicated and treating two or more comorbidities, using a combination of beta-blocker, angiotensin converting enzyme inhibitor and/or angiotensin receptor antagonist, aldosterone antagonist and diuretic. In the first part of the study, we observed an association of higher number of comorbidities, greater severity and polypharmacy with good adherence. In the second part, there was an association of older age, living with no spouse and with fewer people in the same household, reason for possession of medications and reason for not taking the drug with high adherence. The adherence level was improved in both groups at the end of the study, although without statistical significance. In the second part, there was a statistically significant improvement in the level of prescription knowledge, in the drug possession ratio and in the health self-assessment. It was not possible to observe a significant improvement in adherence, but there were significant improvements in factors associated with good adhesion. The limited sample size will require caution in extrapolating the results
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/5478
Appears in Collections:PPG-CAPS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RANIERI CARVALHO CAMUZI.pdf14.82 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.