Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/5965
Title: Úlcera metafísica: um constructo teórico a partir da percepção existencial de pessoas com úlceras venosas crônicas
Other Titles: Metaphysical ulcers: a theoretical construct from the perception existential of people with chronic venous ulcers
Authors: Joaquim, Fabiana Lopes
metadata.dc.contributor.advisor: Silva, Rose Mary Costa Rosa Andrade
metadata.dc.contributor.advisorco: Pereira, Eliane Ramos
metadata.dc.contributor.members: Silva, Rose Mary Costa Rosa Andrade
Marins, Aline Miranda da Fonseca
Pereira, Eliane Ramos
Rosas, Ann Mary Machado Tinoco Feitosa
Teixeira, Enéas Rangel
García-Caro, María Paz
Camacho, Alessandra Conceição Leite Funchal
Issue Date: 2017
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Joaquim, Fabiana Lopes. Úlcera metafísica: um constructo teórico a partir da percepção existencial de pessoas com úlceras venosas crônicas. 2017. 222f. Tese (Doutorado Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, 2017.
Abstract: As úlceras venosas crônicas acometem os membros inferiores e provocam nas pessoas dificuldades relacionadas à necessidade de adaptação à condição clínica, levando estes a repensar valores, entender a enfermidade, seguir procedimentos e enfrentar o olhar da sociedade repleta de mitos e estigmas. Frente ao exposto, esta pesquisa teve como objeto a percepção existencial das pessoas que vivem com úlceras venosas crônicas e a tese defendida e comprovada resultante do construto teórico é que através da compreensão da percepção existencial das pessoas que vivem com úlceras venosas crônicas, pautada em uma perspectiva merleaupontiana, que prioriza as experiências vividas, é possível identificar a presença das “úlceras metafísicas”, o que auxilia a produzir em coexistência o cuidado a partir do contexto sociocultural, contribuindo para o fortalecimento das Ciências do Cuidado em Saúde. O objetivo geral foi compreender como as pessoas adultas e idosas percebem sua existência frente às úlceras venosas; e os objetivos específicos foram descrever como as pessoas com úlceras venosas crônicas percebem a própria existência e analisar esta percepção à luz da fenomenologia de Merleau-Ponty. É um estudo fenomenológico, descritivo, com abordagem qualitativa. O campo de pesquisa foi o Ambulatório de Reparo de Feridas do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP), localizado em Niterói/RJ. Participaram 36 pacientes que vivem com úlceras venosas crônicas e que aceitaram participar da pesquisa. A coleta de dados ocorreu por meio do instrumento de protocolo de pesquisa; da entrevista fenomenológica, operacionalizada pela pergunta: Como é para o (a) senhor (a) viver com a(s) lesão/lesões da úlcera venosa? ; do instrumento de registro das expressões relacionadas à narratividade do corpo; e pela observação não estruturada. O parecer de aprovação ocorreu junto ao Comitê de Ética e Pesquisa do HUAP sob o número 1.581.358 e CAAE: 51981915.6.0000.5243. Os dados inerentes às entrevistas e aos instrumentos de registro das expressões relacionadas à narratividade do corpo se complementaram e se reafirmaram entre si, resultando em três categorias: 1) Vivendo com a doença: sinais e sintomas como marcas de uma vida - os resultados apontam que o desvelar existencial dos participantes têm repercussões inerentes ao estado patológico, levando à invisibilidade social e à indissociação das feridas; 2) O ser além da lesão e a afetividade - como consequência desta percepção, as pessoas com as referidas lesões passam a sentir necessidade da afetividade perdida por consequência do corpo lesionado. Frente a esta realidade, família e amigos são amparo no “mundo da vida”, auxiliando nas potencialidades; 3) A volta ao passado e o atual isolamento social - recordar a existência antes da lesão traz à tona a questão do isolamento social. Ante a este isolamento e às percepções do “mundo da vida”, evidencia-se a importância da espiritualidade como sustentáculo. Conclui-se que a existência das pessoas que apresentam as úlceras venosas vai além da lesão física, fazendo com que estas necessitem se reencontrar corporalmente, dando um novo sentido ao “mundo percebido”, minimizando, e por que não dizer cicatrizando? as “úlceras metafísicas” originadas da incompreensão do mundo ao ser que se encontra com a lesão.
metadata.dc.description.abstractother: Chronic venous ulcers affect the lower limbs and cause difficulties related to the need to adapt to the clinical condition in people, leading them to rethink values, understand the disease, follow procedures and face the eyes of society full of myths and stigmas. In view of the above, this research had as its object the existential perception of people living with chronic venous ulcers and the thesis defended and proven, resulting from the theoretical construct, that it is possible to identify the presence of “metaphysical ulcers” by understanding the existential perception of people living with chronic venous ulcers, based on a Merleau-Pontian perspective that prioritizes lived experiences. This helps to produce, in coexistence, care from the sociocultural context, contributing to the strengthening of Health Care Sciences. The general objective was to understand how adults and elderly people perceive their existence in the face of venous ulcers; and the specific objectives were to describe how people with chronic venous ulcers perceive their own existence and analyze this perception in the light of Merleau-Ponty‟s phenomenology. It is a phenomenological, descriptive study, using a qualitative approach. The research area was the Wound Repair Ambulatory of the Antônio Pedro University Hospital (HUAP), located in Niterói/RJ. Participants were 36 patients living with chronic venous ulcers who accepted to participate in the study. Data collection took place through: a research protocol instrument; the phenomenological interview, operationalized by the question: How do you live with the venous ulcer lesion(s)? ; the instrument of registration of expressions related to the narrativity of the body; and unstructured observation. The approval opinion was presented to the Ethics and Research Committee of HUAP under number 1.581.358 and CAAE: 51981915.6.0000.5243. The data inherent to the interviews and the recording instruments of the expressions related to the narrativity of the body were complemented and reaffirmed among themselves, resulting in three categories: 1) living with disease: signs and symptoms as marks of a life - the results indicate that the existential disclosure of the participants have inherent repercussions to the pathological state, leading to social invisibility and the indissociation of the wounds; 2) the individual beyond injury and affectivity - as a consequence of this perception, people with those injuries begin to feel the need for the affection lost as a consequence of the injured body. Faced with this reality, family and friends are supported in the “life world”, helping in the potentialities; 3) the return to the past and the current social isolation - remembering the existence before the injury brings up the question of social isolation. Faced with this isolation and perceptions of the “life world”, the importance of spirituality as a support is evident. It is concluded that the existence of people with venous ulcers goes beyond physical injury, causing them to find themselves again in their bodies, giving a new meaning to the “perceived world”, minimizing, and why not saying, healing “metaphysical ulcers” originated from the incomprehension of the world by the individual who is injured.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/5965
Appears in Collections:PACCS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Fabiana Lopes Joaquim.pdf4.63 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.