Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6045
Title: Evolução deposicional e trófica nas biofáceis sedimentares da Lagoa Vermelha, Rio de Janeiro
Authors: Raphaelli, João Terra Assiny
metadata.dc.contributor.advisor: Carvalho, Carla Regina Alves
metadata.dc.contributor.advisorco: Santos, Elisamara Sabadini
metadata.dc.contributor.members: Wanderley, Maria Dolores
Albuquerque, Ana Luíza Spadano
Issue Date: 2018
Abstract: Variações do nível do mar no Quaternário esculpiram as planícies litorâneas no sul e sudeste do Brasil e formaram os sistemas lagunares fluminenses, os quais possuem uma evolução geomorfológica que passa pela redução de seu espelho d’água, hipersalinização e seccionamento, podendo evoluir a brejos ou mesmo desaparecer. Nesse contexto, a Lagoa Vermelha se configura como uma laguna costeira carbonática hipersalina de microclima transicional tropical-semiárido quente, condições que favorecem a precipitação de minerais como aragonita, calcita e dolomita e permitem a formação de microbialitos, estruturas organossedimentares excepcionais derivados da precipitação mineral bioinduzida ou diretamente bioprecipitada. Dentre os diversos tipos de microbialitos, destacam-se as esteiras microbianas e os estromatólitos. Por ter característica correlatas de alguns poucos lugares no mundo, como no Oriente Médio e Austrália, existem iniciativas na tentativa da preservação desse tipo de ambiente como a criação do Parque Estadual Costa do Sol em 2012. Apesar dessa excepcionalidade, a pressão antrópica tem demonstrado sinais de impacto sobre a Lagoa Vermelha. Neste trabalho houve o estudo da evolução sedimentar e trófica recente para colaborar com o conhecimento sobre os processos que governam a formação das estruturas, da sedimentação e sua correlação biológica no tocante a produção da matéria orgânica e microbialitos. Com a coleta de dois testemunhos (LV-O e LV-E) em lobos diferentes da laguna, foram feitas análises de granulometria, biopolímeros, matéria orgânica e datação pelo método de 210Pb para inferir a geocronologia. Após a classificação das biofácies, pôde ser atestada a hegemonia de minerais carbonáticos sobre siliciclásticos em todas as frações granulométricas, com destaque para os finos. Também foi observado o domínio de lipídio sobre os demais biopolímeros em todas as biofácies dos dois testemunhos, indicando diagênese acelerada pela comunidade microbiana e grande potencial no acúmulo de carbono. A ordem biopolímérica lipídios > proteínas > carboidratos permaneceu constante, com exceção das biofácies medianas do testemunho LV-O. A razão proteína/carboidrato seguiu esse resultado, tendo valores menores que um apenas nas biofácies centrais do LV-O. A matéria orgânica acompanhou as tendências gerais dos biopolímeros, enfatizando a participação da fração lábil na composição orgânica dos sedimentos. Houve paralelo, também, da matéria orgânica com a granulometria, corroborando a resposta clássica dos processos hidrodinâmicos sobre a preservação da matéria orgânica, com exceção de uma biofácie intermediária e das biofácies do topo do LV-O. Nessas últimas, a hidrodinâmica marcada pela granulometria não respondeu a tendência crescente da matéria orgânica, dos biopolímeros e da razão proteína/carboidrato. Associando esse resultado à datação por 210Pb, ficou sugerida influência antrópica com input de material orgânico no sistema na história deposicional mais recente da Lagoa Vermelha.
metadata.dc.description.abstractother: Sea level variations during the Quaternary have shaped coastal plains in southern and southeastern Brazil and formed the coastal lagoon systems in the State of Rio de Janeiro, which geomorphological evolution comprises the reduction of their water mirror, hypersalination and sectioning, evolving to swamps or disappearing. In this context, Lagoa Vermelha is a coastal, carbonate and hypersaline lagoon, in a context of hot tropical semi-arid transitional microclimate, favoring the precipitation of carbonaceous minerals such as aragonite, calcite and dolomite, and the formation of microbialites, exceptional organosedimentary structures derived from bio-induced mineral precipitation or directly bioprecipitated. While the production of microbial mats and stromatolites still occurs in the present, the anthropic pressure impacts Lagoa Vermelha. In this work, we study sedimentary and trophic evolution during its geological history along the Holocene in order to understand the processes that govern the formation of the different structures, sedimentation and their biological correlation in the production of the organic matter and microbialites. From two sediment cores (LV-O and LV-E) collected in different lagoon lobes we analyzed granulometry, biopolymers, organic matter and geochronology by 210Pb dating method. Biofacies were classified and the amount of carbonic minerals was greater than siliciclastics in all the granulometric fractions, especially within the fine fraction, while the amount of lipids was greater than other biopolymers in all the biofacies of the two samples, indicating accelerated diagenesis by the microbial community and great potential in the accumulation of carbon. The biopolymeric order lipids > proteins > carbohydrates remained constant, except for the median biofacies of the LV-O, where there was an inversion in the carbohydrate-protein order. The protein / carbohydrate ratio followed this result, having values smaller than one in the central biofacie of LV-O, only. The organic matter followed the general trends of the biopolymers, emphasizing the participation of the labile fraction in the organic composition of the sediments. There was also a parallel of the organic matter with the granulometry, corroborating the classic response of the hydrodynamic processes on the preservation of the organic matter, except for an intermediate biofacie and the biofacies of the top of the LV-O. In the latter, the hydrodynamics marked by granulometry did not respond to the growing trend of organic matter, biopolymers and the protein / carbohydrate ratio. Associating this hydrodynamic paradox with the 210Pb dating, recent (last century) sedimentation was confirmed for these top biofacies, suggesting anthropic influence with input of organic material in the system in the most recent depositional history of the Lagoa Vermelha
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6045
Appears in Collections:PPG-GEO - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RAPHAELLI, J. T. A. 2018.pdf1.34 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.