Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6149
Title: Gerenciando o cuidado diante das interações de medicamentos de alta vigilância no centro de terapia intensiva
Other Titles: Care management of high allert medications interactions in the intensive care unit
Authors: Cortes, Ana Laura Biral
metadata.dc.contributor.advisor: Silvino, Zenith Rosa
metadata.dc.contributor.members: Silvino, Zenith Rosa
Martins, Tathiana Silva de Souza
Oliveira, Beatriz Guitton Renaud Baptista de
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Cortes, Ana Laura Biral. Gerenciando o cuidado diante das interações de medicamentos de alta vigilância no centro de terapia intensiva. 2016. 115 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, 2016.
Abstract: Problema: Os pacientes internados em setores de terapia intensiva geralmente recebem tratamento para múltiplas patologias. Com isso, pode ocorrer o advento da polifarmácia, entre as consequências surgem as interações medicamentosas; que, podem associar-se a eventos adversos a este indivíduo. Considera-se importante conhecer a ocorrência destas interações a fim de adotar ações de manejo clínico que possibilitem ao profissional de saúde atuar de forma mais adequada no que diz respeito à segurança do paciente. Assim, o objetivo geral deste estudo é analisar as potenciais Interações Medicamentosas relacionadas ao uso de Medicamentos de alta vigilância (MAV) em pacientes do Centro de Tratamento Intensivo. Metodologia: Este é um estudo transversal, retrospectivo de abordagem quantitativa, realizado no Hospital Universitário Antônio Pedro. A pesquisa apoiou-se na análise das prescrições de pacientes internados no CTI do Hospital, no período de 1 ano (2014-2015) a fim de identificar as interações medicamentosas relacionadas aos MAV recorrentes nas mesmas. Foram analisadas as prescrições medicamentosas diárias, selecionando-se para discussão as possíveis interações que envolvessem ao menos um MAV, administrado por quaisquer vias. Resultados: Dos 60 prontuários analisados, selecionaram-se 244 prescrições medicamentosas. Nas 244 prescrições medicamentosas foram identificadas 846 interações medicamentosas potenciais (IMP) relacionadas aos MAV. Foram identificados 33MAV. Os principais MAV envolvidos nas IMP foram: insulina regular, que participou de 251 interações potenciais; midazolam, que participou de 196 IMP; fentanil, ligado a 171 IMP e por fim o tramadol, relacionado a 150 interações medicamentosas. Dos 112 tipos de IMP identificadas, algumas foram mais recorrentes; a saber: tramadol e ondansetrona, midazolam e omeprazol, insulina regular e hidrocortisona, fentanil e midazolam, e insulina regular e noradrenalina.As variáveis polifarmácia, tempo de internação e alguns medicamentos específicos, a saber, Fentanil, Midazolam, Noradrenalina, Insulina regular, Amiodarona IV, Tramadol e Fosfato de K; apresentaram associação significativa com as interações medicamentosas potenciais (IMP). Este estudo encontrou algumas limitações em sua realização. O número de participantes foi relativamente baixo, apesar de obterem-se bastantes prescrições. Salienta-se ainda que alguns fármacos, bamifilina, dipirona, bromoprida, glicose a 50%, fenoterol, AD elemet, domperidona e deslanosídeo; não foram identificados no software micromedex por isso não foram consideradas as possíveis IM envolvendo os mesmos. Conclusão: Por fim, a partir da análise com amostra selecionada, a hipótese do estudo, de que pacientes internados no Centro de Terapia Intensiva que usam um maior número de medicamentos, apresentam maior risco de desenvolverem interações medicamentosas com os MAV, foi confirmada.
metadata.dc.description.abstractother: Problem: Patients in intensive care sectors usually receive treatment for multiple diseases. Thus, there may be the advent of polypharmacy among the consequences arise drug interactions; that may be associated with adverse events in this individual. It is considered important to know the occurrence of these interactions in order to adopt clinical management actions that allow health professionals to act more appropriately with regard to patient safety. Thus, the aim of this study is to analyze the potential Interactions related to the use of High Allert Medications (MAV) in patients in the Intensive Care Unit. Methods: This is a cross-sectional, retrospective study of quantitative approach, performed at University Hospital Antonio Pedro. The research was supported in the analysis of prescriptions for patients admitted to the ICU of the Hospital, the 1-year period (2014-2015) to identify drug interactions related to recurring MAV in them. Daily drug prescriptions were analyzed by selecting for discussion the possible interactions involving at least one MAV, administered by any means. Results: Of the 60 records analyzed, we selected 244 drug prescriptions. In 244 drug prescriptions were identified 846 potential drug interactions (IMP) related to the MAV. 33MAV were identified. The main MAV involved in the IMP were: regular insulin, which participated in 251 potential interactions; midazolam, which participated in 196 IMP; Fentanyl on the 171 IMP and finally tramadol, related to 150drug interactions. Of the 112 types of IMP identified, some were more applicants; namely tramadol and ondansetron, midazolam and omeprazole, regular insulin and hydrocortisone, fentanyl and midazolam, and regular insulin and noradrenalina. As polypharmacy variables, length of stay and some specific drugs, namely, Fentanyl, Midazolam, Norepinephrine, regular insulin, amiodarone IV, Tramadol phosphate and vitamin K; were significantly associated with potential drug interactions (IMP). This study found some limitations in its realization. The number of participants was relatively low, although we get up enough prescriptions. We also emphasize that some drugs, bamifylline, dipyrone, bromopride, 50% glucose, fenoterol, AD elemet, domperidone and deslanoside; were not identified in Micromedex software so were not considered possible IM involving the same. Conclusion: Finally, from the analysis with selected sample, the study hypothesis that patients admitted to the Intensive Care Unit using a greater number of drugs are at higher risk for drug interactions with MAV, it was confirmed.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6149
Appears in Collections:PACCS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Ana Laura Biral Cortes.pdf1.96 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.