Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6265
Title: Cidadãos em toda parte ou cidadãos à parte? Demandas de direitos e reconhecimento no Brasil e na França
Authors: Mota, Fabio Reis
metadata.dc.contributor.advisor: Lima, Roberto Kant de
metadata.dc.contributor.members: Lima, Roberto Kant de
Cefaï, Daniel
O’Dwyer, Eliane Cantarino
Oliveira, Luís Roberto Cardoso de
Mello, Marco Antônio da Silva
Lobão, Ronaldo Joaquim da Silveira
Issue Date: 2009
Citation: MOTA, Fabio Reis. Cidadãos em toda parte ou cidadãos à parte? Demandas de direitos e reconhecimento no Brasil e na França. Tese (Doutorado em Antropologia) - UFF - Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Niterói, 2009.
Abstract: Propomos discutir na tese os processos de mobilizações coletivas que envolvem demandas de direitos e de reconhecimento vinculadas às reivindicações de identidades diferenciadas. Discutindo esta problemática sob o ponto de vista antropológico, empreendemos uma análise contrastiva entre as sensibilidades jurídicas e as gramáticas políticas, jurídicas e morais brasileira e francesa, para lançar um olhar sobre os processos reivindicatórios de grupos concebidos nestes dois espaços públicos como "minoritários". No Brasil as demandas de direitos vinculados a reivindicações de identidades diferenciadas, podem ser observadas em situações de conflitos que envolvem o reconhecimento das identidades e de direitos dos denominados "remanescentes de quilombos" e das "populações tradicionais". Portanto, elegemos como campo empírico a controvérsia pública relacionada ao reconhecimento da comunidade "remanescentes de quilombos" da Ilha da Marambaia, localizada no litoral sul do Estado do Rio de Janeiro, e o conflito existente entre o "meio ambiente" e a Comunidade Tradicional do Morro das Andorinhas, localizada no bairro de Itaipu, Niterói. Na França, cuja composição cultural, étnica, nacional e religiosa é diversa, tais processos podem ser observados em diferentes contextos. Lançamos nosso olhar para as demandas de reconhecimento de direitos e de identidades diferenciadas levadas a cabo pelos "Antilhanos" que moram em Paris, em especial os martiniquenses, cujo paradoxo de ser francês negro, promove uma oscilação entre ser "français à part entière et français entièrement à part". Propomos discutir de que modo estes atores lançam mão de diferentes regimes de engajamento para justificar suas reivindicações, tornando-as legítimas ou não nestas arenas públicas. Partindo do princípio que estes regimes obedecem a diferentes gramáticas jurídicas, políticas e morais, chamamos atenção para o fato que as denominadas políticas de reconhecimento ganham contornos distintos de acordo com os contextos locais.
metadata.dc.description.abstractother: Our focus in this thesis is to discuss several collective action processes which are aimed on quests for rights and recognition that activate claims for distinctive identities from an anthropological point of view. We undertake a contrastive analysis between Brazilian and French legal sensibilities and moral, legal and political grammars in order to pursue an understanding over the claims of groups who are conceived in the public spaces of these two cultures as "minorities". In Brazil , we can see claims for land rights and others, tied to a recognition of distinctive identities, as the struggle for recognition of traditional peoples and former slaves descendants, called "quilombolas" shows. Our fieldwork was done among the quilombolas of Marambaia Island (located on south shore of Rio de Janeiro State ), and along the conflict between environmental activists the traditional community of Andorinhas Mountain (located in the city of Niterói , State of Rio de Janeiro ). In France , we could see these claims in different contexts, once this country has another cultural, ethnic, national and religious background. In a fieldwork of eighteen months in Paris , we could follow the demands for rights and for distinctive recognition held by people from the Antilles that live in Paris, mainly the ones from Martinique . They live a particular paradox in which being black and French promotes a pendulum between being "français à part entière et français entièrement à part". Our ethnography shows these actors activate different "regimes d'angagement" to support their claims, which in distinctive public space, become legitimate or illegitimate, accordingly. The clue is that these regimes are build from different legal, political and moral grammars and so recognition politics are conceived and practiced according to local contexts.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6265
Appears in Collections:NEPEAC - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TES.PDF8.44 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.