Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6639
Title: Caminho em ruínas: a distopia de Jogos Vorazes como diagnóstico do tempo
Authors: Lima, Juliana Souza
metadata.dc.contributor.advisor: Ferreira, Emmanoel
metadata.dc.contributor.members: Falcão, Thiago
Picado, Benjamim
Issue Date: 9-Mar-2018
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Cotidiano
Abstract: Esta dissertação tem como objetivo analisar a relevância da produção de narrativas distópicas enquanto reflexo da vida cotidiana e seus elementos a partir da obra Jogos Vorazes¸ de Suzanne Collins. Subgênero da Ficção Científica, é característico das distopias apresentar uma trama ambientada em um futuro pós-apocalíptico, visto como um cenário pior do que o tempo presente. Entretanto, após investigar os recursos estilísticos do gênero literário, as especificidades da narrativa e a relação que o leitor/espectador estabelece com o mundo ficcional, constatamos que o futuro imaginado, muito mais do que criar um alarme para o tempo que está por vir, utiliza o imaginário com elementos facilmente identificados no tempo presente, caracterizando críticas implícitas e insatisfações com o cotidiano. Tais elementos puderam ser compreendidos a partir da análise de conceitos político-teóricos presentes na narrativa e do entendimento da representação da realidade através da ficção e a consequente suspensão do cotidiano. Com a comparação das obras distópicas do século XX com a trama de Jogos Vorazes, concluímos também que a mudança do protagonismo da narrativa para o gênero feminino contribuiu para uma jornada de autoconhecimento e fortalecimento da personagem principal, uma quebra de estigma em meio à busca por mudanças efetivas contra o poder dominante.
metadata.dc.description.abstractother: This dissertation aims to analyze the relevance of the production of dystopian narratives as a reflection of everyday life and its elements from Suzanne Collins' Hunger Games. Subgenre of Science Fiction, it is characteristic of dystopias to present a plot set in a post-apocalyptic future, seen as a scenario worse than the present time. However, after investigating the stylistic features of the literary genre, the specificities of the narrative, and the relationship that the reader / spectator establishes with the fictional world, we find that the imagined future, far more than creating an alarm for the time to come, uses the imaginary with elements easily identified in the present time, characterizing implicit criticism and dissatisfaction with everyday life. These elements could be understood with the analysis of political-theoretical concepts present in the narrative and the understanding of the representation of reality through fiction and the consequent suspension of everyday life. By the comparison of the dystopian works of the twentieth century with the plot of Hunger Games, we also conclude that the change in narrative protagonism for the female genre contributed to a journey of selfknowledge and strengthening of the main character, a stigma break in the midst of the search for effective changes against the dominant power.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6639
Appears in Collections:PPGMC - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dissertaçao final_julianasouza.pdfdissertação final Juliana1.58 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.