Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6734
Title: Policiais no banco dos réus : administração de conflitos na justiça militar estadual
Authors: Brandão, Isaac Palma
metadata.dc.contributor.advisor: Hirata, Daniel Veloso
metadata.dc.contributor.advisorco: Eilbaum, Lucia
metadata.dc.contributor.members: Silva, Sabrina Souza da
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: Esse trabalho versa sobre a administração institucional de conflitos no âmbito da Justiça Militar Estadual em dois diferentes estados: São Paulo e Rio de Janeiro. Partindo de dados etnográficos, produzidos a partir de observação direta nas instituições responsáveis pelos julgamentos de militares estaduais (policiais militares e bombeiros) nos dois estados: o Tribunal da Justiça Militar do Estado de São Paulo e a Auditoria da Justiça Militar do Estado do Rio de Janeiro. A partir das discussões, que se relacionam com os dados apresentados, focaliza-se primeiro na experiência de pesquisa. A partir da descrição de aspectos específicos da inserção no “campo”, discute-se como essa inserção e posterior desenvolvimento de pesquisa se relaciona com as discussões de “violência policial”, segurança pública, produção de suspeita em relação ao pesquisador e a inquisitorialidade da justiça brasileira. Posteriormente, a discussão desse trabalho, centra-se em aspectos específicos de julgamentos e audiências acompanhadas, dimensionando como as moralidades constroem sentidos de justiça sobre os processos. Discute-se, primeiramente, como se apresentam diferentes “discursos institucionais” e sua relação com as “éticas corporativas”. Por fim, discuto a dimensão pessoal dos conflitos. Ou seja, como tal dimensão aparece, tanto nos diferentes discursos, quanto a partir das formas burocráticas de representar os conflitos. Ensejando, dessa forma, a entrada na discussão sobre as diferentes formas de administrar os diferentes conflitos, em distintas fases processuais.
metadata.dc.description.abstractother: This work deals with the institutional administration of conflicts within the State Military Justice in two different states: São Paulo and Rio de Janeiro. Based on ethnographic data, produced from direct observation in the institutions responsible for the trials of state military (military police and firemen) in both states: the Military Court of the State of São Paulo and the Military Justice Audit of the State of Rio de January. From the discussions, which are related to the presented data, it focuses first on the research experience. From the description of specific aspects of the insertion in the field, it is discussed how this insertion and subsequent development of research relates to the discussions of "police violence", public security, production of suspicion in relation to the researcher and inquisitoriality of Brazilian justice system. Subsequently, the discussion of this work focuses on specific aspects of judgments and audiences followed, sizing how moralities construct meanings of justice over processes. It is discussed, firstly, how different "institutional discourses" and their relationship with "corporate ethics" are presented. Finally, I discuss the personal dimension of conflicts. That is, as this dimension appears, both in the different discourses, and from the bureaucratic ways of representing the conflicts. In this way, we will introduce the discussion of the different ways of administering the different conflicts, in different procedural stages.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6734
Appears in Collections:GSC - Trabalhos de Conclusão de Curso



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons