Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6813
Title: Contra-apropriação mercadológica em grafite: um estudo sobre as contradições nas obras do artista Banksy
Authors: Vargas, Priscila Brandão
metadata.dc.contributor.advisor: Barre, Jorge de La
metadata.dc.contributor.members: Alonso, Fábio Roberto B.
Pessoa, Wilma Lúcia Rodrigues
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: O presente trabalho aborda as contradições no que concerne a mercadorização da arte urbana, mais especificamente na forma de grafite e seus desdobramentos que o levam da ilegalidade ao reconhecimento e, por fim, o seu comércio. Pensando na transposição à crítica artística das ruas por meio da massificação das imagens e produtos que a reproduzem, o objetivo deste trabalho está na compreensão da contra-apropriação a partir do artista britânico Banksy e o mercado do grafite a partir do “parque de diversão” criado pelo mesmo na Inglaterra, o Dismaland, um trocadilho com “sombrio” (“dismal”) e Disneyland, o famoso parque norte-americano. Este trabalho tenta esmiuçar este percurso a partir da trajetória deste mesmo artista pensando em uma possível contradição de sua crítica ao sistema capitalista até sua venda. Com base em imagens e colocações, busco analisar a medida que deve se pensar num esvaziamento da crítica, pela reapropriação do mercado ou numa exacerbação das mesmas, na construção e enorme difusão de suas imagens, imaginários e críticas. Para este estudo, dediqueime em tentar compreender o contexto no qual se emprega esta interpretação e a produção deste cenário que se aplica à arte urbana a partir de dinâmicas já reconhecidas em nosso capital econômico.
metadata.dc.description.abstractother: This paper addresses the contradictions regarding the commodification of urban art, specifically in the form of graffiti and its consequences that lead illegality recognition and, finally, their marketing. Thinking in implementing the critical art of the streets through the massification of images and products that reproduce, the objective of this work is to understand the counter-appropriation from the British artist Banksy and the graffiti market from the "amusement park" created by the same in England, the Dismaland, a pun on "dark" ( "dismal") and Disneyland, the famous North American theme park. This work tries to scrutinize this route from the trajectory of this same artist thinking of a possible contradiction in his criticism of the capitalist system until its sale. Based on images and settings, I try to analyze as they should think of emptying the criticism, the reappropriation of the market or an exacerbation of the same in construction and the massive dissemination of their images, imaginary and criticism. For this study, I dedicated myself trying to understand the context in which it is used this interpretation and the production of this scenario that applies to urban art from dynamic already recognized in our economic capital.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6813
Appears in Collections:GSC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA PRISCILA - versao bcg.pdf2.13 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons