Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6893
Title: Deem-me a cratera do vesúvio como tinteiro – Um estudo sobre o duplo velado em moby-dick
Authors: Lima, Rita Isadora Pessoa Soares de
metadata.dc.contributor.advisor: Lages, Susana Kampff
metadata.dc.contributor.members: Dias, Angela
Pinto, Aline Magalhães
Bôas, Luciana Villas
Cardoso, Andre Cabral De Almeida
Silva, Flávia Trocoli Xavier da
Issue Date: 4-Jul-2018
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: A noção de um duplo velado porta uma complexidade, uma vez que não se trata de um conceito prévio, mas de um desdobramento da ideia clássica de Doppelgänger, um termo originário do folclore e da ficção alemã, no qual se supõe que cada indivíduo possui uma réplica, uma duplicata que o acompanharia, sendo ou não atribuída de intenções ou desígnios maléficos em relação ao sujeito a que se iguala em imagem. Embora não faltem exemplos na literatura desta manifestação clássica do duplo, o objetivo deste trabalho segue em um sentido um pouco diferente. Operamos uma ligeira torção nessa ideia tradicional de duplo, em que a réplica é especular ou portadora de características agourentamente similares às do personagem, como é o caso, por exemplo, de homônimos, reflexos, sombras. Nesta tese, buscamos em Moby-Dick, de Herman Melville, e nos textos de autores como Franz Kafka, Clarice Lispector, dentre outros escritores, gestos de espelhamento, de identificação com o animal, devires, processos de duplificação do eu, isto é, fenômenos que tornem possível pensar em um processo textual que nos conduza a um duplo velado, levando em consideração aspectos como a representação do autor no texto, jogos de linguagem, e desdobramentos poéticos
metadata.dc.description.abstractother: The notion of a veiled double carries a complexity, since it is not a prior concept, but a development of the traditional idea of Doppelgänger, a term originating in German folklore and fiction, in which each individual is supposed to possess a look-alike, a replicant, or a duplicate that would accompany oneself, whether or not it is ill-intended towards the subject to which it equals itself. Although there are plenty examples in literature of this traditional manifestation of the double, this work aims at following a slightly different sense of doubling. We operate a slight twist in this traditional idea of the double, in which the replica is specular or bear identical traits to those of the character, as is the case, for instance, of homonyms, reflexes, shadows. In this thesis, on the other hand, we examine in Herman Melville's Moby-Dick—and, to a lesser extent, the texts of authors such as Franz Kafka, Clarice Lispector, and others— some mirroring gestures of identification with animal characters; symbolic and material shape shifts; processes of doubling the self, that is, phenomena that make it possible to think of a veiled double, taking into account aspects such as the author's representation in the text, language games, and poetic unfoldings
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/6893
Appears in Collections:POSLIT - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_REVISÃO_RITAISADORAPESSOA.pdf1.37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.