Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7128
Title: Avaliação da manutenção, manejo e confiança do autocuidado de pacientes com insuficiência cardíaca crônica em acompanhamento ambulatorial
Authors: Scofano, Bruna dos Santos
metadata.dc.contributor.advisor: Cavalcanti, Ana Carla Dantas
metadata.dc.contributor.advisorco: Pereira, Juliana de Melo Vellozo
metadata.dc.contributor.members: Cavalcanti, Ana Carla Dantas
Pereira, Juliana de Melo Vellozo
Correa, Dayse Mary da Silva
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Scofano, Bruna dos Santos. Avaliação da manutenção, manejo e confiança do autocuidado de pacientes com insuficiência cardíaca crônica em acompanhamento ambulatorial. 2013. 64 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, 2013.
Abstract: Introdução: Programas conduzidos para educação de pacientes com insuficiência cardíaca (IC) por equipes multiprofissionais em clínicas especializadas têm sido desenvolvidos com a proposta de melhorar a manutenção, o manejo e a confiança destes pacientes com relação ao seu autocuidado, através do reconhecimento precoce de sinais e sintomas de descompensação e diminuição de hospitalizações. Este estudo teve como objetivos avaliar a manutenção, o manejo e a confiança no autocuidado de pacientes com insuficiência cardíaca acompanhados em uma clínica especializada e verificar sua associação com variáveis sócio demográficas e clínicas. Metodologia: Estudo descritivo, observacional, transversal, com 50 pacientes com insuficiência cardíaca crônica acompanhados em uma clínica de insuficiência cardíaca no município de Niterói/RJ. Os dados foram coletados através de entrevista por enfermeiros devidamente treinados no período de novembro de 2012 a maio de 2013. Foi utilizado a Escala de Autocuidado para pacientes com IC (EAC-IC), que é uma versão realizada a partir de uma adaptação transcultural e validada para uso no Brasil. Resultados: Nos 50 pacientes inclusos no estudo, 58% eram do sexo masculino, com média de idade de 62,9 anos. As médias do escore de manutenção, manejo e confiança no autocuidado foram de 45,9 - 29,4 - 56,9, respectivamente. Não houve relação forte das variáveis entre o teste de correlação de Pearson e de Spearman. A maioria das variáveis organizadas de acordo com os domínios da NANDA I, apresentou associação com as subescalas manutenção, manejo e confiança. O manejo foi a subescala que mais se destacou nas seguintes variáveis: orientação para controle de líquido (19,80 ± 29,70), procurou saber sobre IC (22,71 ± 31,61), considera-se corajoso (14,32 ± 29,73), considera-se feio (26,00 ± 34,16), nervoso (20,89 ± 33,72), contribuiu para o tratamento (6,25 ± 28,38), IC afetou no trabalho (45,79 ± 30,61), IC afetou no lazer (47,36 ± 15,05), IC afetou nas finanças (42,25 ± 30,15), agitação (56,88 ± 35,45), ansiedade (33,68 ± 33,09) e preocupação (39,40 ± 31,14). O domínio auto percepção teve maior número de variáveis associadas ao autocuidado. Poucos domínios não apresentaram variáveis com valores significativos. Discussão: A caracterização dos sujeitos está de acordo com os parâmetros apontados por estudos sobre IC, indicando a validação do estudo realizado. As variáveis clínicas associadas ao autocuidado indicam que deve haver maior dedicação à compreensão aos aspectos psicológicos, embora essa não seja uma prática comum nos hospitais e clinicas de IC. Conclusão: O estudo contribuiu para melhor entendimento dos fatores sociais e clínicos que interferem no processo de autocuidado em pacientes com IC. Sugerem-se novos estudos sobre estratégias de educação a partir da compreensão das variáveis que estão relacionadas com o autocuidado, apresentadas nesse estudo para melhor desenvolvimento do autocuidado pelos pacientes.
metadata.dc.description.abstractother: Introduction: Conducted education programs for patients with heart failure (HF) by multidisciplinary teams in specialist clinics have been developed with the proposal to improve the self-care maintenance, self-care management and self-care confidence of these patients, through the early recognition of signs and symptoms of decompensation and decreased hospitalizations. This study aimed to evaluate the the self-care maintenance, self-care management and self-care confidence of HF patients treated at a specialized clinic and check its association with sociodemographic and clinical variables. Methodology: descriptive, observational, cross with 50 heart failure patients at a clinic in Niterói City. Data collection occurred from November 2012 to May 2013 during interviews conducted by trained nurses using the Escala de Autocuidado para Pacientes com Insuficiência Cardíaca (EAC-IC), developed from a version adapted and validated for use in Brazil. Results: 58% of patients were male, with average age 62.9 years. The average scores of safe-care maintenance, safe-care management and safe-care confidence were 45.9 - 29.4 to 56.9, respectively. There was no significant relationship between the variables of the Pearson Correlation and Spearman Correlation Test. Most variables arranged according to domains of NANDA I, was associated with the subscales maintenance, management and confidence. The self-care management subscale is excelled in the following variables: orientation to liquid control (19.80 ± 29.7), search for information about HF (22.71 ± 31.61), considered courageous (14.32 ± 29.73), considered ugly (26.00 ± 34.16), angry (20.89 ± 33.72), contributed to the treatment (28.38 ± 6.25), job affected (45.79 ± 30.61), leisure affected (47.36 ± 15.05) , finances affected (42.25 ± 30.15), agitation (56.88 ± 35.45), anxiety (33.68 ± 33.09) and worry (39.40 ± 31.14). The domain self-perception obtained the highest number of variables associated with self-care. Few areas have no variables with significant values. Discussion: the characterization of patients following parameters indicated by HF studies, validating the study. Clinical variables associated with self-care indicate that there must be greater commitment to understanding the psychological aspects, although this is not common practice in IC hospitals and clinics. Conclusion: The study contributed to a better understanding of social and clinical factors that interfere with the process of self-care in HF patients. New studies about education strategies are suggested based on the understanding of the variables that are related to self-care, presented in this study. Thus, it will be possible to develop a better self-care by patients.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7128
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Bruna Scofano.pdf1.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.