Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7136
Title: Estudo sobre resiliência em adolescentes portadores de doenças crônicas não-transmissíveis
Authors: Beretta, Luiza de Lima
metadata.dc.contributor.advisor: Santos, Mauro Leonardo Salvador Caldeira dos
metadata.dc.contributor.members: Santos, Mauro Leonardo Salvador Caldeira dos
Fuly, Patricia dos Santos Claro
Aguiar, Rosane Cordeiro Burla de
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Beretta, Luiza de Lima. Estudo sobre resiliência em adolescentes portadores de doenças crônicas não-transmissíveis. 2013. 66 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, 2013.
Abstract: Trata-se de um estudo exploratório transversal com abordagem quantitativa, cujos objetivos foram identificar as condições de resiliência em adolescentes internados com doença crônicas não-transmissíveis e levantar os principais fatores de proteção no enfrentamento dos adolescentes em relação aos danos causados pela doença. Os dados foram coletados no Hospital Universitário Pedro Ernesto, durante o mês de abril de 2013, após aprovação do comitê de ética. Foram entrevistados 20 adolescentes de ambos os sexos, entre 12 e 19 anos. O instrumento de coleta de dados utilizado foi o questionário WHOQOL-BREF, que avalia a qualidade de vida e possui 26 questões, as quais são divididas em 5 domínios. Após a coleta dos dados, foi feita a análise dos mesmos; a pontuação dos escores do questionário foi realizada utilizando-se o programa estatístico SAS 9.1.3. Primeiramente, realizou-se o cálculo dos scores de cada questão de acordo com a sintaxe da Organização Mundial de Saúde, depois de feita essa transformação, aplicou-se uma estatística básica para a qualidade de vida em cada domínio. Em um próximo passo, realizou-se um teste de variância (ANOVA) utilizando um modelo de regressão múltipla com 5% de significância para analisar o quanto cada domínio explica cada questão. Esse método apresenta dois testes, o teste F e oteste t de Student. A regressão múltipla também foi utilizada para analisar a relação entre a variável sexo e os domínios. Além disso, aplicou-se um teste F para o total de cada paciente em relação a cada domínio, a fim de verificar quais domínios foram mais significativos. Após a análise dos dados, verificou-se que o domínio 2 (psicológico) e o overall influenciaram mais na qualidade de vida dos adolescentes participantes da pesquisa. Ademais, os fatores de proteção mais encontrados foram fatores baseados no próprio indivíduo e fatores relacionados ao apoio do meio ambiente. Estes achados reforçam a ideia de que as experiências de vida e a forma com que cada adolescente enxerga o mundo a seu redor influenciam fortemente o enfrentamento das adversidades. Diante disso, é fundamental que os profissionais de saúde tenham sensibilidade e preparo adequado para identificar as peculiaridades do indivíduo adolescente e do processo de adoecimento de cada paciente, além de minimizar, dentro do possível, as experiências negativas, com o intuito de contribuir para que a experiência da hospitalização edifique algum sentido construtivo para o adolescente. Logo, um cuidado sob a perspectiva da resiliência permite uma assistência voltada para a integralidade, valorizando elementos objetivos e subjetivos. Este novo paradigma visa o desenvolvimento de habilidades pessoais e sociais dos pacientes e da equipe de saúde, enfatizando as formas de enfrentamento das doenças e adversidades em detrimento da valorização apenas das patologias.
metadata.dc.description.abstractother: This is an exploratory cross sectional study, with a quantitative approach, whose objectives were to identify the conditions of resilience in hospitalized adolescents with chronic noncommunicable diseases and raise the main protective factors in adolescent coping in relation to damage caused by the disease. Data were collected at the University Hospital Pedro Ernesto, during the month of April 2013, after approval of the ethics committee. We interviewed 20 adolescents of both sexes, between the age of 12 and 19 years. The instrument used for the data collection was the WHOQOL-BREF, which evaluates the quality of life and has 26 questions which are divided into five domains. After collecting the data, they were analyzed. The score of the questionnaires was performed using the statistical program SAS 9.1.3. First, there was calculated the score of the questionnaires according to the syntax of the World Health Organization, and after this transformation, was applied basic statistics for quality of life in each domain. In a next step, a test of variance (ANOVA) was performed using a multiple regression model with 5% significance to analyze how each domain explains each question. This method presents two tests, the F test and Student's t test. Multiple regression was also used to analyze the relationship between the gender variable and domains. In addition, an F test was applied to total of each patient in each domain in order to determine which domains were most significant. After analyzing the data, it was found that the domain 2 (psychological) and overall influence on quality of life of adolescents participating in the research. Moreover, the protective factors found were based on the individual factors and factors related to the support of the environment. These findings reinforce the idea that the life experiences and the way every teenager sees the world around him strongly influence the face of adversities. Therefore, it is essential that health professionals have sensitivity and adequate preparation to identify the peculiarities of the individual adolescent and disease process of each patient, while minimizing, as far as possible, the negative experiences, in order to contribute to experience of hospitalization edify some constructive direction for the teen. Soon, a care from the perspective of resilience allows assistance toward integrality, valuing objective and subjective elements. This new paradigm aims to develop personal and social skills of patients and the healthcare team, emphasizing the ways of coping with illness and adversity instead of just valuation of pathologies.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7136
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Luiza de Lima Beretta.pdf959.93 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.