Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7564
Title: A indicação geográfica como indutora da organização dos pequenos produtores: o caso “Café das montanhas do Sul de Minas Gerais”
Authors: Batista, Luis Adriano
metadata.dc.contributor.advisor: Araújo, Hildete Pereira de Melo Hermes de
metadata.dc.contributor.members: Di Sabbato, Alberto
Araújo, José Francisco de
Issue Date: 2012
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: A região do Sul de Minas, em Minas Gerais, apresenta potencial para a diferenciação e valorização de um produto típico, arraigado a cultura e história local. Trata-se do Café, uma cultura imbuída de valores históricos englobando o desenvolvimento econômico e social desta região e do país. Os produtos com Indicação Geográfica carregam consigo a identidade local, ou seja, está contido nele, a cultura, a tradição, as condições ambientais, a história, o saber fazer local. Embora, as IG não tenham sido concebidas para promover o desenvolvimento territorial, elas podem contribuir para o desenvolvimento de novas formas de organização regional, permitindo identificar e valorizar recursos territoriais, integrando novos desafios ao desenvolvimento local e sustentável. Considerar a IG uma simples forma de agregar valor ao produto seria desconsiderar uma nova maneira de reorganização territorial e social, um equívoco e mais uma vez um reducionismo. Dessa forma, este estudo de caso tem como objetivo analisar a adesão dos produtores de café dos municípios de Campestre, Machado e Poço Fundo a Associação que parece promover uma espécie de clube de produtores, conquanto induzisse a identificação de especificidades locais agregadas ao café das montanhas do Sul de Minas, que possibilita aqueles produtores novas alternativas de benefícios sociais e econômicos frente ao mercado consumidor de café, cada vez mais exigente em diferenciação ao
metadata.dc.description.abstractother: The southern region of Minas, in Minas Gerais, has potential for the differentiation and recovery of a typical product, deeply rooted culture and local history. It's Coffee, a culture imbued with historical values encompassing the economic and social development of the region and country. Products with Geographical Indication carry with them a local identity, ie it is contained, culture, tradition, environmental conditions, history, know-how site. Although GIs have not been designed to promote regional development, they can contribute to the development of new forms of regional organization, to identify and enhance land resources, integrating new challenges to local development and sustainable. Consider a simple GI way to add value to the product would be to disregard a new way of social and territorial reorganization, a mistake and once again a reductionism. Thus, the adhesion of coffee farmers in the municipalities of Campestre, Machado and Well Fund Association held a sort of club producers, although induced to identify specific sites added to the coffee from the mountains of southern Minas, which allows those new producers alternative social and economic benefits against the coffee consumer market is increasingly demanding in product differentiation, with GI being configured as an inducer of this negotiation.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7564
Appears in Collections:PPGESS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LuisAdrianoBatista.pdf3.84 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons