Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7714
Title: Caracterização físico-química e estudo normatizado da biocompatibilidade e biodegradabilidade das membranas de hidroxiapatita-alginato-capsul e alginato-capsul para tratamento de perdas ósseas
Authors: Lima, Cristina Jardelino de
metadata.dc.contributor.advisor: Granjeiro, José Mauro
metadata.dc.contributor.advisorco: Maia, Mônica Diuana Calasans
Issue Date: 2011
Citation: LIMA, Cristina Jardelino de. Caracterização físico-química e estudo normatizado da biocompatibilidade e biodegradabilidade das membranas de hidroxiapatita-alginato-capsul e alginato-capsul para tratamento de perdas ósseas. 2011. 139 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Odontologia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2011.
Abstract: Objetivo: O objetivo deste trabalho foi avaliar fisicoquimicamente, in vitro e in vivo a resposta tecidual após a implantação de uma nova membrana de alginato-capsulHA. Métodos: As amostras foram caracterizadas por microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia no infravermelho (IV) e Difração de Raios-X. O material foi submetido à análise de citocompatibilidade utilizando Cristal Violeta, vermelho neutro e XTT. O material foi implantado nos tecidos subcutâneo e subperiostal de camundongos (n=15) e após 1, 3 e 9 semanas, os animais foram mortos e as biópsias analisadas à microscopia de luz, através de coloração com hematoxilinaeosina, picrosirius e azul de alcian pH 2,5 e imunohistoquímicas para caveolina, MMPs- 2, 8, 9, RECK e F4-80. Os parâmetros avaliados foram: intensidade e tipo de infiltrado inflamatório, presença de tecido conjuntivo, reação de corpo estranho, vascularização e biodegradação. Resultados: As membranas apresentaram características ideais para uso em RTG ou ROG com relação à rigidez e flexibilidade, espessura, facilidade de manuseio; foi possível incorporar a hidroxiapatita na membrana de alginato, alterando a morfologia da membrana; ambos os materiais foram citocompatíveis e biodegradáveis; os materiais induziram uma resposta inflamatória crônica persistente, com predomínio de células mononucleares tipo macrófago; a remodelação tecidual e biodegradação dos materiais teve a contribuição significativa da MMP-8, em oposição à das MMP-2 e MMP-9, provavelmente bloqueadas por RECK após 3 semanas; a expressão de caveolina parece também estar intimamente relacionada com a inibição da expressão da MMP-2. Conclusões: Considerando os resultados obtidos concluiu-se que a nova membrana de alginato-capsul é parcialmente reabsorvível, mas com baixa biocompatibilidade, necessitando de mais testes para validar seu uso clínico.
metadata.dc.description.abstractother: Objective: The objective of this study was to evaluate physical chemistry, in vitro and in vivo tissue response after implantation of a new alginate-membrane-capsul-Ha. Methods: The samples were characterized by scanning electron microscopy (SEM), infrared (IR) and X-ray diffraction. The material was subjected to the analysis of cytocompatibility using crystal violet, neutral red and XTT. The material was implanted in the subcutaneous tissues and subperiotal of mice (n = 15) and after 1, 3 and 9 weeks, the animals were killed and biopsies examined by light microscopy, by staining with hematoxylin-eosin, picrosirius and blue alcian pH 2.5 and immunohistochemistry for caveolin, MMPs-2, 8, 9, RECK and F4-80. The parameters evaluated were: intensity and type of inflammatory infiltrate, presence of connective tissue, foreign body reaction, biodegradation and vascularization. Results: The membrane exhibited characteristics ideal for use in GTR or GBR with respect to stiffness and flexibility, thickness, ease of handling, it was possible to incorporate the HA in the membrane of alginate, changing the membrane morphology, both materials were citocompatíveis and biodegradable; materials induced a persistent chronic inflammatory response with predominance of mononuclear macrophage type, the tissue remodeling and degradation of materials was the significant contribution of MMP-8, as opposed to that of MMP-2 and MMP-9 was probably blocked by RECK after 3 weeks, the expression of MMP-2 was probably blocked by cabeolin too. Conclusions: Considering these results it was concluded that the new membrane alginate-capsul is partially resorbable, but with low biocompatibility, requiring further tests to validate its clinical use.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7714
Appears in Collections:PPGO - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Cristina Jardelino de Lima.pdf5.13 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons