Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7897
Title: Diagnóstico de obstrução das vias aéreas utilizando-se o 5º percentil do limite inferior de normalidade e o método de percentuais fixos
Authors: Leão, Mariana Stoll
metadata.dc.contributor.advisor: Sias, Selma Maria de Azevedo
metadata.dc.contributor.members: Cardoso, Claudete Aparecida Araújo
Lima, Glaucia Macedo de
Firmida, Mônica de Cassia
Issue Date: 2018
Abstract: Introdução: A diminuição na relação VEF1/CV (volume expiratório forçado no 1º segundo/capacidade vital) ou VEF1/CVF (volume expiratório forçado no 1º segundo/capacidade vital forçada) permanece como critério universalmente aceito para diagnóstico de obstrução das vias aéreas. Entretanto, dentre as diretrizes e consensos, não há concordância sobre o ponto de corte que define obstrução. A American Thoracic Society/European Respiratory Society Task Force (ATS/ERS) caracteriza o distúrbio ventilatório obstrutivo (DVO) como uma redução na razão abaixo do 5º percentil do limite inferior da normalidade (LIN), mas o Global Initiative for Asthma (GINA) e as Diretrizes para Testes de Função Pulmonar da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) continuam a usar reduções baseadas nos critérios de percentuais fixos. Objetivo: Avaliar os pontos de corte utilizados para interpretação de obstrução pulmonar de crianças e adolescentes, utilizando os resultados espirométricos, segundo os consensos: ATS/ERS, SBPT e GINA. Métodos: Estudo transversal e analítico, de espirometrias realizadas em crianças e adolescentes (7- 18 anos), no setor de Prova de Função Respiratória de hospital terciário, de novembro de 2016 a novembro de 2017. Distribuídos em dois grupos (<12 e ≥ 12 anos), os exames foram classificados como prova de função normal (PFN) ou como DVO, de acordo com os critérios estabelecidos por cada consenso. Foi analisada a proporção de resultados com DVO e a concordância entre os métodos, tanto na amostra global quanto nos participantes com diagnóstico de asma, com recurso ao Teste de Concordância Kappa. Resultados: Foram incluídos 316 participantes, com mediana de idade de 12 anos, sendo 51,9% do sexo masculino e 65,2% apresentavam diagnóstico de asma. Dependendo do ponto de corte utilizado, ATS/ERS versus SBPT, houve discordância em 38,3% dos resultados espirométricos. O ponto de corte fixo da SBPT categorizou menos resultados de DVO em relação ao LIN, definição da ATS/ERS, em ambas as faixas etárias, com baixa concordância, baixa sensibilidade e elevada especificidade. Aqueles com diagnóstico de asma (n=206), nos <12 anos (n=102), GINA foi capaz de identificar mais casos de DVO (59,8%) do que a ATS/ERS (45,1%) e que a SBPT (12,7%). Nos asmáticos ≥ 12 anos (n= 104), ATS/ERS foi capaz de identificar mais casos de DVO, com sensibilidade de 100% e especificidade de 44,3% em relação ao GINA. Conclusão: O ponto de corte escolhido para interpretação da espirometria de crianças e adolescentes pode levar à variabilidade dos resultados. Novos estudos semelhantes devem ser desenvolvidos para uma conclusão definitiva do assunto
metadata.dc.description.abstractother: Introduction: The reduction in ratio FEV1/CV (Forced expiratory volume in one second/vital capacity) or FEV1/FVC (Forced expiratory volume in 1 second/force vital capacity) is still the universally accepted criterion for the diagnosis of airway obstruction. However, among the reference guidelines and consensuses, there is no agreement for the cutoff value that would define an airflow obstruction. The American Thoracic Society/European Respiratory Society Task Force (ATS/ERS) characterizes obstructive ventilatory disorder as a reduction in the ratio below the 5th lower limit of normality (LLN), but the Global Initiative for Asthma (GINA) and the Pulmonary Function Testing Guidelines of Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) continue to use reductions based on fixed percentage criteria. Objective: To evaluate the cutoff points used to interpret pulmonary obstruction in children and adolescents, using the spirometric results, according to the consensus: ATS/ERS, SBPT and GINA. Methods: Cross-sectional and analytical study of spirometry tests performed in children and adolescents (7-18 years) in the tertiary hospital Respiratory Function Test from November 2016 to November 2017. Distributed in two groups (<12 and ≥ 12 years), the tests were classified as normal test (NT) or as OVD, according to the criteria established by each consensus. The proportion of OVD results and the agreement between the methods, both in the global sample and in the participants with asthma diagnosis, were analyzed using the Kappa Concordance Test. Results: A total of 316 participants were included, with a median age of 12 years, of which 51.9% were male and 65.2% had a diagnosis of asthma. Depending on the cutoff point used, ATS/ERS versus SBPT, there was disagreement in 38,3% of the spirometric results. The fixed cutoff point of SBPT categorized fewer OVD results than LLN, ATS/ERS definition, in both age groups, with low agreement, low sensitivity and high specificity. Those with asthma diagnosis (n = 206) at <12 years (n = 102), GINA was able to identify more cases of OVD (59.8%) than ATS/ERS (45.1%) and that the SBPT (12.7%). In asthmatic patients ≥ 12 years (n = 104), ATS/ERS was able to identify more cases of OVD, with sensitivity of 100% and specificity of 44.3% in relation to GINA. Conclusion: The cutoff point chosen for the interpretation of spirometry in children and adolescents may lead to variability of results. Similar new studies should be developed for a definitive conclusion of the subject
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7897
Appears in Collections:MESP-MI - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MARIANA STOLL LEÃO DISSERTAÇÃO.pdf848.61 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons