Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7959
Title: Carcinogênese na cérvice uterina associada ao papilomavírus humano tipo 16: aspectos relacionados à genética e à epigenética
Authors: Carestiato, Fernanda Nahoum
metadata.dc.contributor.advisor: Cavalcanti, Silvia Maria Baeta
metadata.dc.contributor.members: Guimarães, Isabel Cristina Chulvis do Val
Silveira, Filomena Aste
Melo, Yara Lucia Mendes Furtado de
Barbosa, Raquel da Hora
Garcia, Rita de Cássia Nasser Cubel
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: Estudos têm apontado que as infecções persistentes pelos Papilomavirus humanos (HPV) de alto-risco, principalmente o tipo 16, são responsáveis pelo desenvolvimento do câncer do colo do útero. O principal pré-requisito para o desenvolvimento de um fenótipo maligno é a integração do genoma viral ao genoma da célula hospedeira, permitindo assim a expressão contínua dos oncogenes virais E6 e E7. Podemos considerar ainda a modificação dos níveis de expressão de genes virais e do hospedeiro causadas pelas alterações epigenéticas, como a metilação do DNA, que contribuem para o processo carcinogênico. O objetivo desta tese foi estudar as infecções causadas por HPV16 no colo do útero de pacientes atendidas no Instituto de Ginecologia da UFRJ, no período compreendido entre 2012 – 2013, bem como a possibilidade de integração do tipo 16 em 2 grupos de pacientes: portadoras de lesões não malignas e portadoras de lesões malignas; considerando ainda aspectos da metilação em gene do hospedeiro (p16INK4a); e relacioná-las à gravidade das lesões cervicais encontradas, avaliando características sócio-demográficas. Para tanto, os esfregaços cervicais das pacientes foram submetidos à detecção da presença do DNA do HPV pela PCR usando iniciadores genéricos MY09/MY11 e Gp5+/6+, genotipagem dos HPV através da PCR com iniciadores específicos para o gene E6 do HPV16; determinação do estado físico (epissomal e integrado) do genoma viral do HPV16 através da PCR para região E1-E2 dos vírus; avaliação do grau de metilação do gene p16INK4a do hospedeiro através da Nested-MSP; confrontando os resultados com as variáveis epidemiológicas. Nossos resultados mostraram 89,7% (52/58) de integração do genoma do HPV16 nas lesões malignas e 78,6%(33/42) de integração nas lesões não malignas. Encontramos 76% das amostras estudadas com o gene p16INK4a com algum grau de metilação e 24% não apresentaram metilação. A integração foi um evento precoce em relação à metilação; que por sua vez mostrou um crescimento acompanhando o aumento da severidade das lesões, porém sem significância estatística. A única variável epidemiológica com significância estatística foi a menarca para ambas as observações, e paridade para metilação. Ainda serão necessários mais estudos e padronização das duas técnicas, que se mostraram boas ferramentas na detecção viral e na tomada de decisões quanto ao tratamento e monitoramento pós-tratamento das pacientes com lesões precursoras de câncer cervical
metadata.dc.description.abstractother: Studies have shown that persistent infection with high risk human papillomavirus (HPV), especially type 16, is responsible for cervical cancer development. The main requirement for the development of a malignant phenotype is the integration of viral genome into the host cell genome, allowing the continuous expression of the viral oncogenes E6 and E7. Associated with these mechanisms, we can consider the modification of viral gene expression levels and the host itself through the process of epigenetic DNA methylation which results in gene silencing, and therefore can collaborate in carcinogenesis. The objective of this thesis is to study the infections caused by HPV16 in patients cervical cancer attended at Gynecology Institute, of UFRJ, in the period 2012-2013, as well as the possibility of integrating of HPV type 16 in 2 groups of patients: carriers of non-malignant lesions and with malignant lesions; also considering aspects of methylation in host genes (pINK4a); and compare them with the severity of cervical lesions found, evaluating socio-demographic characteristics. Therefore, cervical smears of patients will be submitted to the detection of HPV DNA presence by PCR using generic primers MY09 / MY11, genotyping of HPV by PCR with primers specific for the E6 gene of HPV;determining the physical state (episomal and integrated) of HPV16 viral genome by PCR for E1-E2 virus regions; evaluation by Nested-MSP technique the degree of methylation of the host pINK4a gene; comparing the results with epidemiological variables. Our results showed 89.7% of malignant lesions with integrated HPV16 and 78.8% of integration in non-malignant lesions. Nearly 76% of the studied samples presented the gene p16INK4a methylated while 24% were unmethyladed. The integration was an early event in relation to the event of methylation; in an upward trend with the increase of the severity of the lesions, but without statistical relevance. The only epidemiological variable with statistical significance was the menarche to both observations, and parity for methylation. Further studies are necessary to better standardization of the two techniques that may represent valuable tools in viral detection and in making decisions regarding treatment and close follow-up of patients with cervical cancer precursor lesions
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/7959
Appears in Collections:PPGCM - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE Fernanda N.Carestiato (2).pdf7.56 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons