Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8334
Title: As lutas indígenas pelo direito à terra e pelo território na Amazônia: uma análise a partir das cartas públicas dos povos indígenas em situação de conflito
Authors: Fortunato, Clara Maria Ribeiro Consort
metadata.dc.contributor.advisor: Cruz, Valter do Carmo
metadata.dc.contributor.advisorco: Malheiro, Bruno
Issue Date: 2018
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Fortunato, Clara Maria Ribeiro Consort. As lutas indígenas pelo direito à terra e pelo território na Amazônia: uma análise a partir das cartas públicas dos povos indígenas em situação de conflito. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geografia) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2018.
Abstract: A condição atual da população indígena na Amazônia reflete uma disputa histórica por modelos de ser e estar no mundo. A reivindicação pelo direito ao território indígena representa a luta por territorialidades múltiplas que garantam o usufruto exclusivo da terra e as condições necessárias para a vida. A luta dos povos indígenas se insere em um contexto de luta múltiplo composto por povos e comunidades tradicionais que vêm sendo ameaçados pelo modelo civilizatório hegemônico desenvolvimentista promovido por grandes empresas do agronegócio, mineração, hidrelétricas, madeireiras entre outras, que, em sua maioria, atuam com o incentivo de instituições públicas e buscam a partir da exploração dos recursos naturais da Amazônia, suprir o desenfreado consumo em múltiplas escalas da sociedade capitalista moderna. A proposta deste trabalho é a partir da análise de dezessete cartas públicas dos povos indígenas da Amazônia, compreender as mudanças de eixo dos conflitos da terra ao território expressa a partir da diversificação étnica das territorialidades em resistência em um contexto de ressignificação das lutas sociais. As cartas produzidas pelos povos indígenas e movimentos sociais no período de 2007 à 2013, redigidas principalmente, às autoridades governamentais, foram escolhidas como instrumento de análise pois proporcionam a compreensão das demandas e agendas de resistência indígenas a partir de seus próprios referenciais e discursos, que promovem críticas multiescalares ao modelo de desenvolvimento atuante em seus territórios e à sociedade que o propaga e legitima. Buscamos a partir deste trabalho ampliar a compreensão do campo das lutas indígenas e ressaltar outras formas de relação com a natureza, outras concepções de desenvolvimento e outras expectativas de futuro.
metadata.dc.description.abstractother: The present condition of the indigenous population in the Amazon reflects a historic dispute over models of being and being in the world. The claim for the right to indigenous territory represents the struggle for multiple territorialities that guarantee the exclusive usufruct of the land and the necessary conditions for life. The struggle of indigenous peoples is part of a multi-struggle context composed of traditional peoples and communities that have been threatened by the developmentalist hegemonic civilizational model promoted by large agribusiness, mining, hydroelectric, logging and other companies, which, for the most part, work with the encouragement of public institutions and seek from the exploitation of natural resources of the Amazon, supply the rampant consumption on multiple scales of modern capitalist society. The proposal of this work is based on the analysis of seventeen public letters of the indigenous peoples of the Amazon, understanding the changes of the axis of the conflicts of the land to the territory expressed from the ethnic diversification of the territorialities in resistance in a context of resignification of the social struggles. The letters produced by indigenous peoples and social movements from 2007 to 2013, drafted mainly to the governmental authorities, were chosen as an analysis instrument because they provide an understanding of indigenous resistance demands and schedule based on their own references and discourses. promote multi-scale critiques of the development model in their territories and the society that propagates and legitimizes it. We seek to broaden the understanding of the field of indigenous struggles and to highlight other forms of relationship with nature, other conceptions of development and other expectations of the future.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8334
Appears in Collections:GGG - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tcc finalizado - Clara Maria Ribeiro.pdfCLARA MARIA RIBEIRO CONSORT FORTUNATO14.15 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons