Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8649
Title: Obtenção de forma farmacêutica sólida a partir de sistema autonanoemulsificante contendo ibuprofeno
Authors: Mendonça, Juliana Xavier de
metadata.dc.contributor.advisor: Falcão, Deborah Quintanilha
metadata.dc.contributor.advisorco: Mourão, Samanta Cardozo
metadata.dc.contributor.members: Silva, Luiz Cláudio Rodrigues Pereira da
Brito, Luciana Macedo
Issue Date: 2018
Citation: MENDONÇA, Juliana Xavier de. Obtenção de forma farmacêutica sólida a partir de sistema autonanoemulsificante contendo ibuprofeno. 2018. 97f. Dissertação (Mestrado em Ciências Aplicadas a Produtos para Saúde) - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.
Abstract: O ibuprofeno é um derivado do ácido fenil propiônico largamente utilizado como anti-inflamatório não esteroidal, analgésico e antipirético com meia-vida de 1,8 – 2 horas. Pertence ao grupo II do Sistema de Classificação Biofarmacêutica possuindo alta permeabilidade e baixa solubilidade em água, tendo absorção oral limitada pela dissolução. Assim, é desejado o emprego de estratégias para o aumento de sua velocidade de dissolução para que ocorra liberação imediata e, consequentemente, rápida absorção. SSEDDS (do Inglês: Solid self-emulsifying drug delivery system) são sistemas autoemulsificantes sólidos formados por um sistema autoemulsificante líquido e um sólido carreador. Sistemas líquidos são definidos como um tipo de emulsão pré-concentrada, livre de água, que possuem alta eficiência na incorporação de fármacos pouco solúveis em meio aquoso. Quando administrados por via oral, espalham-se rapidamente pelo trato gastrointestinal e sua motilidade promove a agitação necessária para que ocorra a autoemulsificação espontânea do sistema. Apresentam vantagens em relação às formas líquidas como incremento na biodisponibilidade de fármacos hidrofóbicos, boa capacidade de fabricação e estabilidade. Foi objetivo desse estudo a incorporação dos sistemas autoemulsificantes contendo ibuprofeno em carreadores sólidos, de modo a obter sistemas com potencial para o desenvolvimento de formas farmacêuticas sólidas. Previamente, houve a seleção do sólido carreador. O Neusilin® US2, um silicato de magnésio, foi o escolhido, pois apresentou melhores características de fluxo (IC = 27,6515 ± 3,7498 e RH = 1,3201 ± 0,1218), além de incorporar maiores quantidades de sistema líquido, mantendo o aspecto seco. As formulações desenvolvidas foram baseadas em um planejamento experimental do tipo Delineamento Composto Central Rotacional (DCCR) a fim de avaliar as proporções entre sólido carreador, sistema e fármaco. As variáveis resposta foram os parâmetros derivados do perfil dissolução obtidos no estudo de liberação in vitro. Não foi possível obter um modelo matemático capaz de descrever, no domínio experimental estudado, o comportamento dos fatores estudados sobre a resposta eficiência de dissolução. Entretanto foi possível observar um aumento da velocidade de dissolução, especialmente entre formulações que apresentavam maior quantidade de sólido carreador (ED3CIBF = 91,56 % ± 0,6867). O modelo de Higuchi foi o que melhor descreveu a cinética de liberação do fármaco. As formulações foram analisadas, ainda, utilizando técnicas de caracterização, como, espectroscopia no infravermelho, difração de raios X de pó, calorimetria diferencial de varredura e microscopia eletrônica de varredura. Através das caracterizações foi possível comprovar a tendência do ibuprofeno em adsorver na superfície ou mais internamente no silicato, dependendo da quantidade de fármaco presente na formulação, de acordo com os diferentes comportamentos de transição endotérmica apresentados. Constatou-se que houve modificação na estrutura cristalina das amostras. Todas as formulações assumiram a característica amorfa apresentada pelo Neusilin® US2 indicando que todo o ibuprofeno estava solubilizado no sistema líquido e que este conjunto (sistema líquido + ibuprofeno) foi adsorvido pelo carreador. Estes resultados evidenciaram o potencial do SSEDDS desenvolvido em veicular, de maneira eficiente, altas concentrações de fármaco e otimizar a velocidade de liberação do fármaco a partir desses sistemas, quando comparado ao ibuprofeno em pó.
metadata.dc.description.abstractother: Ibuprofen is a derivative of phenyl propionic acid widely used as a non-steroidal anti-inflammatory, analgesic and antipyretic with a half-life of 1.8-2 hours. It belongs to Group II of the Biopharmaceutical Classification System, having high permeability and low solubility in water, and oral absorption limited by dissolution. Thus, it is desired to employ strategies for increasing the rate of dissolution for immediate release and hence rapid absorption. SSEDDS (solid self-emulsifying drug delivery system) are self-emulsifying solid systems formed by a liquid self-emulsifying system and a solid carrier. Liquid systems are defined as a type of preconcentrated, water-free emulsion which have high efficiency in the incorporation of poorly soluble drugs in aqueous medium. When administered orally, they spread rapidly through the gastrointestinal tract and their motility promotes the agitation necessary for the spontaneous self emulsification of the system to occur. They have advantages over liquid forms such as increased bioavailability of hydrophobic drugs, good manufacturing capacity and stability. The objective of this study was the incorporation of self-emulsifying systems containing ibuprofen into solid carriers in order to obtain systems with potential for the development of solid dosage forms. Previously, there was the selection of the solid carrier. Neusilin® US2, a magnesium silicate, was chosen because it presented better flow characteristics (CI = 27,6515 ± 3,7498 and HR = 1,3201 ± 0,1218), besides incorporating larger amounts of liquid system , keeping the appearance dry. The formulations developed were based on an experimental design of the Rotational Central Compound Design (RCCD) in order to evaluate the ratios between carrier solid, system and drug. The response variables were the parameters derived from the dissolution profile obtained in the in vitro release study. It was not possible to obtain a mathematical model capable of describing, in the studied experimental domain, the behavior of the factors studied on the dissolution efficiency response. However, it was possible to observe an increase in the dissolution rate, especially between formulations with the highest carrier solids content (DE3CIBF = 91.56 % ± 0.6867). The Higuchi model best described the kinetics of drug release. The formulations were also analyzed using characterization techniques such as infrared spectroscopy, powder X - ray diffraction, differential scanning calorimetry and scanning electron microscopy. Through the characterizations it was possible to prove the tendency of ibuprofen to adsorb on the surface or more internally in the silicate, depending on the amount of drug present in the formulation, according to the different endothermic transition behaviors presented. It was verified that there was modification in the crystalline structure of the samples. All formulations assumed the amorphous character of Neusilin® US2 indicating that all ibuprofen was solubilized in the liquid system and that this set (liquid + ibuprofen) was adsorbed by the carrier. These results evidenced the potential of SSEDDS developed in efficiently transporting high concentrations of drug and optimizing the rate of drug release from these systems when compared to ibuprofen powder.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8649
Appears in Collections:PPG-CAPS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mendonça, Juliana Xavier de.pdf4.43 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.