Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8928
Title: Influência da utilização da farinha ou óleo de linhaça (Linum Usitatissimum) durante a gestação e lactação de ratas wistar diabéticas nos níveis séricos de hormônios tireoidianos da prole fêmea adulta
Authors: Suzuki, Akemi
metadata.dc.contributor.advisor: Boaventura, Gilson Teles
metadata.dc.contributor.advisorco: Santos, André Manoel Correia dos
metadata.dc.contributor.members: Resende, Angela de Castro
Weide, Luciene de Carvalho Cardoso
Taboada, Giselle Fernandes
Issue Date: 2015
Citation: SUZUKI, Akemi. Influência da utilização da farinha ou óleo de linhaça (Linum Usitatissimum) durante a gestação e lactação de ratas wistar diabéticas nos níveis séricos de hormônios tireoidianos da prole fêmea adulta. 2015. 90 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Universidade Federal Fluminense, Niterói. 2015.
Abstract: O presente trabalho teve como objetivo avaliar o consumo materno da farinha e do óleo de linhaça nos níveis de hormônios tireoidianos (HT) da prole adulta de ratas diabéticas. Trinta ratas Wistar, com três meses, foram separadas em: Grupo Controle (GC) (n=6), com dieta à base de caseína; e Grupo Hiperlipídico (GH) (n=24), com dieta hiperlipídica (60%). Após três semanas, os animais do GH receberam injeção intraperitoneal de STZ (35mg.kg-1), uma semana após este procedimento foi realizada a confirmação do diabetes (glicose> 300mg/dL). As ratas foram acasaladas e após confirmada a gestação foram divididas em: Grupo Controle (GC, n=6): ração à base de caseína; Grupo Hiperlipídico (GH, n=6): ração hiperlipídica (49%); Grupo Hiperlipídico Óleo de Linhaça (GHO, n=6): ração hiperlipídica (49%), com substituição do óleo de soja pelo óleo de linhaça; Grupo Hiperlipídico Farinha de Linhaça (GHF, n=6): ração hiperlipídica (49%), adicionada de 25% de farinha de linhaça. Após o desmame, filhotes fêmeas (n=6) de cada grupo foram separadas, passando a receber ração comercial e sacrificadas aos 180 dias de vida. Amostras de sangue foram coletadas através de punção cardíaca. A análise estatística dos dados da indução foram submetidos à comparação entre os grupos utilizando-se o teste t, e para análise dos dados da prole foi utilizado One-way ANOVA, com nível de significância de 5%. Após três semanas de oferta das dietas, o GH apresentou reduzida ingestão de ração (P<0,0001), porém a ingestão energética deste grupo foi superior (P<0,0003) ao GC em todos os momentos. A massa corporal de ambos os grupos foi semelhante no início do estudo, porém após a administração da STZ, o GH apresentou perda de massa corporal (P<0,0001). Concernente ao metabolismo glicídico, o GH aumentou a glicemia de jejum em 16,5% em relação ao momento inicial do experimento (P<0,0001), e o GC mostrou aumento de 8,7%. Após a administração de STZ, verificou-se aumento da glicemia do GH em 194,2% (344,2 ± 6,3mg/dL), representando um aumento de 275,8% (P<0,0001) quando comparado ao GC (91,6 ± 2,6mg/dL). No TOTG a área sob a curva foi maior no GH comparado ao GC (+297,6%, P<0,001- GC:14677u.a.; GH:58361u.a.), indicando intolerância à glicose nesses animais. Em relação à prole observou-se maior consumo relativo do GHO aos 21 dias em relação aos demais grupos (p=0,003) e menor consumo relativo do GHF aos 180 dias em relação ao GC (p=0,009). Observou-se redução significativa da massa corporal ao desmame do GH (-31%), GHF (-33%) e GHO (44%), quando comparada ao GC (p=0,002), os quais passaram a ser semelhantes ao final do experimento. A glicemia foi reduzida no grupo GHF (-10%, p=0,044) quando comparada ao GC, e não houve diferença significativa entre os grupos em relação aos índices de HOMA, insulina, T3, T4 e TSH ao final de 180 dias. A hiperglicemia severa materna durante a gestação e lactação acarretou em uma prole microssômica. A adição da farinha e do óleo de linhaça na dieta de ratas diabéticas não acarretou efeitos significativos nos HT da prole adulta.
metadata.dc.description.abstractother: This study aimed to evaluate maternal consumption of flaxseed flour and oil on thyroid hormone (TH) levels of the adult female offspring from diabetic rats. Thirty female Wistar rats at 3 months of age, were separated into the Control Group (CG) (n = 6), receiving a diet based on casein; and High-Fat Group (HG) (n = 24), receiving high fat diet (60%). After three weeks, the animals of GH received an intraperitoneal injection of STZ (35mg.kg-1). One week after this procedure the confirmation of diabetes (glucose> 300mg/dL). Rats were mated and once pregnancy was confirmed, were divided into the following groups: Control group (CG): casein-based diet; Hyperlipidic group (HG): high fat diet (49%); Hyperlipidic Flaxseed group (HFG): high fat diet supplemented with 25% flaxseed flour; Hyperlipidic Flaxseed Oil group (HOG): high fat diet, where soya oil was replaced by flaxseed oil. After weaning, female pups (n = 6) from each group were separated, received a commercial rat chow and were sacrificed at 180 days. The data was submitted to comparison between groups using Student t test, and to analyze the offspring of data we used one-way ANOVA, with a significance level of 5%. After three weeks of feeding diets, GH showed reduced feed intake (P <0.0001), however the energy intake of this group was higher (P <0,0003) than the GC at all times. The body mass of both groups was similar at baseline, but after STZ administration GH showed body mass loss (P< 0,0001). In regard of glucose metabolism, GH presented fasting blood glucose increase by 16,5% when compared with the initial moment of the experiment (P<0,0001), and GC showed 8,7% increase. After administration of STZ, the GH showed glucose increase (194,2%, 344,2 ± 6,3mg/dL) and increase of 275,8% (P<0,0001) when compared to GC (91,6 ± 2,6mg/dL). About OGTT, the GH area under the curve was higher than GC (+297,6%, P<0,001 - GC:14677u.a.; GH:58361u.a.), indicating impaired glucose tolerance in these animals. Regarding the offspring we observed a higher relative consumption of GHO at 21 days compared to other groups (p=0,003) and reduced consumption on the GHF at 180 days compared to GC (p=0,009). A significant reduction in body weight at weaning was observed in HG (-31%), HFG (-33%) and HOG (44%) compared to CG (p=0.002), which became similar at the end of experiment. Blood glucose levels were reduced in HFG (-10%, p=0.044) when compared to CG, and there was no significant difference between groups in relation to HOMA-IR, insulin, T3, T4 and TSH after 180 days. Maternal severe hyperglycemia during pregnancy and lactation resulted in a microsomal offspring. The addition of flaxseed flour and oil in the diet of diabetic rats did not cause significant effects on HT in the adult offspring
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8928
Appears in Collections:PPGCM - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Akemi.pdf1.22 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons