Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8973
Title: O saneamento e a produção desigual do espaço urbano na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro
Authors: Oliveira, Patricia dos Santos Mathias de
metadata.dc.contributor.advisor: Sousa, Adrianyce Angélica Silva de
metadata.dc.contributor.advisorco: Pereira, Tatiana Dahmer
metadata.dc.contributor.members: Sousa, Adrianyce Angélica Silva de
Pereira, Tatiana Dahmer
Icasuriaga, Gabriela Maria Lema
Vale, Andrea Araújo do
Issue Date: 2018
Abstract: O baixo índice na cobertura dos serviços de saneamento, bem como o atendimento precário desta politica pública urbana, principalmente no que se refere ao tratamento e fornecimento de água tratada e coleta e tratamento de esgotos, se constitui numa das principais características em se tratando de países periféricos, como o Brasil. Porém, mesmo nestes países, a deficiência desses serviços tem sido mais elevada em locais onde vivem a população com menor poder aquisitivo. Esse quadro revela a forma desigual que os espaços urbanos desses países foram produzidos. Em que o Estado no processo de desenvolvimento urbano promoveu a efetivação de infraestruturas e políticas públicas urbanas, incluindo o saneamento, para apenas parte da sociedade. E consequentemente, evidencia a forma desigual em que as classes populares produzem e apropriam-se dos seus espaços. Como é o caso da Baixada Fluminense, conjunto de cidades situadas perifericamente na região metropolitana do Rio de Janeiro, a qual foi constituída, principalmente pela classe trabalhadora pobre, desigualmente em relação à cidade carioca. E com isso, apresenta os piores índices em relação ao saneamento no estado. Com base nisso, a presente pesquisa tem como foco entender a relação existente entre a realidade do saneamento na Baixada Fluminense, com o modo em que o espaço da região foi produzido socialmente no início do século XX.
metadata.dc.description.abstractother: The low coverage of sanitation services, as well as the precarious attendance of this urban public policy, especially with regard to the treatment and supply of treated water and sewage collection and treatment, is one of the main characteristics in countries such as Brazil. However, even in these countries, the deficiency of these services has been higher in places where the population with lower purchasing power lives. This picture reveals the uneven shape that urban spaces in these countries have produced. In that the State in the process of urban development promoted the implementation of urban public infrastructure and policies, including sanitation, for only part of society. And consequently, it shows the unequal way in which the popular classes produce and take possession of their spaces. As is the case of the BaixadaFluminense, a set of cities located peripherally in the metropolitan region of Rio de Janeiro, which was constituted, mainly by the poor working class, unequally in relation to the city of Rio. And with that, it has the worst rates in relation to sanitation in the state. Based on this, the present research focuses on the relationship between the reality of sanitation in the BaixadaFluminense and the way in which the area was produced socially in the early twentieth century.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/8973
Appears in Collections:PPGSSDR - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dissertação versal final oficial Patricia.pdf1.66 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons