Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9021
Title: Avaliação da frequência da deficiência de vitamina B12 nos pacientes diabéticos do tipo 2 em uso de metformina acompanhados no ambulatório de endocrinologia do HUAP-UFF
Authors: Damião, Charbel Pereira
metadata.dc.contributor.advisor: Lima, Giovanna Aparecida Balarini
metadata.dc.contributor.advisorco: Cardoso, Gilberto Perez
metadata.dc.contributor.members: Taboada, Giselle Fernandes
Mello, Lívia Lugarinho Corrêa de
Santos, Márcia Maria Sales dos
Issue Date: 2015
Citation: DAMIÃO, Charbel Pereira. Avaliação da frequência da deficiência de vitamina B12 nos pacientes diabéticos do tipo 2 em uso de metformina acompanhados no ambulatório de endocrinologia do HUAP-UFF. 2015. 56 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015.
Abstract: A prevalência de deficiência de vitamina B12 nos pacientes submetidos a tratamento de longa duração com MTF varia de 5,8-31%. Apenas um estudo estimou a prevalência da deficiência de vitamina B12 entre os pacientes brasileiros com DM2 em uso de metformina e foi realizado na região sul do Brasil. Devido à escassez de dados em pacientes brasileiros, este estudo teve como objetivo determinar a freqüência de deficiência bioquímica de vitamina B12 e seus fatores relacionados em pacientes com DM2 em uso de metformina. Métodos: Pacientes com DM2 e um grupo controle de não diabéticos foram incluídos. Os níveis séricos de vitamina B12 foram quantificados utilizando um imunoensaio quimioluminescente. Deficiência bioquímica de vitamina B12 foi definida como níveis séricos <180 pg/mL. Associações entre a deficiência de B12 e as variáveis categóricas foram determinadas com teste qui-quadrado ou exato de Fisher. As associações entre variáveis contínuas e a deficiência de vitamina B12 foram determinadas com o teste de Mann Whitney. O coeficiente de correlação de Spearman foi utilizado para avaliar a correlação entre as variáveis numéricas. A análise multivariada utilizando regressão logística foi realizada para identificar fatores associados de forma independente com a deficiência de vitmaina B12. Resultados: 462 indivíduos foram incluídos, sendo 231 pacientes com DM2-MTF e 231 controles. A mediana da idade do grupo de DM2-MTF foi de 60 anos. Comparado com o grupo controle, nenhuma diferença foi observada na freqüência do uso de IBP (Inibidores da bomba de prótons) ou antagonistas dos receptores de histamina tipo 2 (Anti-H2). A deficiência bioquímica de vitamina B12 foi mais freqüente entre DM2 em uso de MTF quando comparado com o grupo controle (22,5% versus 7,4%, p <0,001). Após a exclusão de usuários IBP/Anti-H2, a freqüência da deficiência de vitamina B12 persistiu significativamente maior no grupo DM2-MTF (17,9% versus 5,6%, p = 0,001). Os fatores que interferiam de forma significativa nos níveis séricos de B12 após a regressão múltipla foram o uso de IBP /Anti- H2 e duração do uso da metformina ≥10 anos. O uso de IBP/Anti-H2 associou-se com deficiência de B12, com um risco relativo de 2,60 (95% intervalo de confiança, 1,34-5,04). A prevalência de anemia e o VCM não foram diferentes entre os pacientes DM2-MTF com e sem deficiência de B12 (23,1% versus 18,9%, p= 0,378 e 89,4 versus 89,0, p= 0,153). Por outro lado, macrocitose foi significativamente mais frequente no grupo de pacientes com deficiência de B12 (9,6% versus 0,6%, p <0,001). Conclusões: Os pacientes com DM2 em tratamento em longo prazo com metformina e uso concomitante de IBP/Anti-H2 estão em maior risco de desenvolver deficiência bioquímica de vitamina B12, quando comparados aos não diabéticos. É importante avaliar cuidadosamente a prescrição de IBP/Anti-H2 nesta população. Além disso, a deficiência de vitamina B12 deve ser considerada no diagnóstico diferencial e no manejo das comorbidades do diabetes, especialmente da neuropatia
metadata.dc.description.abstractother: Background: Prevalence of vitamin B12 deficiency among patients undergoing long-term treatment with MTF varies from 5.8 to 31%. Only one study estimated the prevalence of B12 deficiency among Brazilian patients with DM2 using metformin and it was conducted in the south region of Brazil. Due to the paucity of data among Brazilian patients, this study aimed to determine the frequency of biochemical B12 deficiency and its related factors in DM2 patients using metformin. Methods: Patients with DM2 and a control group of non-diabetics were included. The serum B12 levels were quantified using a chemiluminescent enzyme immunoassay. Biochemical B12 deficiency was defined as serum levels <180 pg/mL. Associations between B12 deficiency and categorical variables were determined with chi-squaretest or Fisher exact test. Associations between continuous variables and B12 deficiency were determined with Mann Whitney test. The Spearman rank correlation coefficient was used to evaluate the correlation between numeric variables. A multivariate analysis using logistic regression was performed to identify factors independently associated with B12 deficiency. Results: 462 subjects were included, with 231 patients with DM2-MTF and 231 controls. Median age of DM2-MTF group was 60 years. Comparing DM2-MTF and control group, no difference was seen in the frequency of PPI (proton pump inhibitors) or type 2 histamine receptor blockers (H2-blockers) use. Biochemical B12 deficiency was more frequent among DM2-MTF when compared to the control group (22.5% versus 7.4%, p<0.001). After excluding PPI/H2-blockers users, the frequency of B12 deficiency persisted significantly higher in the DM2-MTF group (17.9% versus 5.6%, p=0.001). Factors that significantly interfered in the serum levels of B12 after multiple regression were PPI/H2-blockers use and duration of metformin use ≥10 years. The use of PPI/H2-antagonists was associated with biochemical B12 deficiency, with an odds ratio of 2.60 (95% confidence interval, 1.34-5.04). The prevalence of anemia and VCM were not different between the MTF-DM2 patients with and without B12 deficiency (23.1% versus 18.9%, p = 0.378 and 89.4 vs. 89.0, p = 0.153). However, macrocytosis was significantly more frequent in the group of B12-deficient patients (9.6% vs. 0.6%, p <0.001).Conclusions: The patients with T2DM on long-term treatment with metformin and concomitant use of PPI/H2-blockers are at higher risk to develop biochemical vitamin B12 deficiency when compared to non-diabetics. It is important to carefully evaluate the prescription of PPI/H2-blockers in this population. Also, B12 deficiency should be considered in the differential diagnosis when managing comorbidities of diabetes, especially neuropathy
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9021
Appears in Collections:PPGCM - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO -VERSÃO FINAL - CHARBEL.pdf1.06 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons