Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9061
Title: Estudo da hemodinâmica cerebral por ultrassonografia doppler em gestantes com hipertensão arterial crônica
Authors: Araújo, Flávia do Vale
metadata.dc.contributor.advisor: Sá, Renato Augusto Moreira de
metadata.dc.contributor.advisorco: Silva, Fernanda Campos da
metadata.dc.contributor.members: Santos, Alair Augusto Sarmet Moreira Damas dos
Vasques, Flávio Augusto Prado
Mauad Filho, Francisco
Issue Date: 2015
Citation: ARAÚJO, Flávia do Vale. Estudo da hemodinâmica cerebral por ultrassonografia doppler em gestantes hipertensas crônicas. 2015. 79 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015.
Abstract: Introdução: As alterações estruturais dos vasos arteriais na hipertensão crônica (hipertrofia e aumento de resistência) são antagônicas as alterações estruturais adaptativas e fisiológicas da gestação (vasodilatação e diminuição da resistência). Objetivo: Estudar o fluxo sanguíneo arterial dos sistemas carotídeo e vertebral na gestação com ultrassonografia Doppler em mulheres com hipertensão arterial crônica comparando-o com os resultados obtidos nas gestantes normotensas. Métodos: A ultrassonografia Doppler foi usada para avaliar índices dopplervelocimetricos das artérias carótidas comum e interna e nas artérias vertebrais. Estudamos o pico de velocidade sistólica (PVS), índice de resistência (IR), índice de pulsatilidade (IP) e diâmetro das artérias. Uma amostra de 68 gestantes com hipertensão arterial crônica foi comparada a um grupo de 223 gestantes normotensas. Os dados colhidos foram submetidos à análise estatística (S-Plus versão 8,0). Foram calculados média e desvio-padrão para cada índice dopplervelocimétrico avaliado. Através de regressão logística, obtivemos valores residuais de cada grupo e os comparamos através do teste T student. Isso foi necessário para removermos o efeito de possíveis variáveis de confundimento como idade gestacional, nível de pressão arterial sistólica e diastólica e uso de antihipertensivos. Resultados: Não houve diferença significativa entre os parâmetros estudados entre as gestantes normotensas e as gestantes com hipertensão arterial crônica. Dentre as variáveis que influenciaram nos fluxos, a idade gestacional foi a única estatisticamente significativa, evidenciando um aumento de diâmetro e diminuição dos índices de resistência com o avançar da gestação. Conclusão: A Hipertensão arterial crônica não altera a hemodinâmica cerebral das gestantes. Os efeitos protetores da microcirculação cerebral como a remodelação e a hipertrofia, não foram encontrados nas gestantes hipertensas. As modificações fisiológicas da gravidez podem impedir ou reverter esse efeito, podendo predispor o cérebro a complicações de um aumento agudo da pressão arterial.
metadata.dc.description.abstractother: Introduction: The structural changes of the arterial vessels in chronic hypertension (hypertrophy and increased resistance) oppose to the adaptive structural and physiological changes of pregnancy (vasodilation and decreased resistance). Objective: To evaluate the arterial blood flow of the carotid and vertebral systems, by Dopplerultrasound in chronic hypertensive pregnant women and to compare with the normotensive pregnant women, Methods: Doppler ultrasound was used to evaluate Doppler indices of the common and internal carotid arteries and the vertebral arteries. We studied the peak systolic velocity (PSV), resistance index (RI), pulsatility index (PI) and diameter of the arteries. A sample of 68 women with chronic hypertension was compared to a group of 223 normotensive pregnant women. The collected data were subjected to statistical analysis(S-Plus version 8.0). Mean and standard deviation for each Doppler velocimetry index assessed were calculated. Using logistic regression, we obtained residual values of each group and compared them by the Student t test. This was required to remove the effect of potential confounders such as gestational age, level of systolic and diastolic blood pressure and use of antihypertensive drugs. Results: There was no significant differencebetween normotensive and chronic hypertensive pregnant women, considering the studied parameters. Among the variables that influenced flow, gestational age was the only statistically significant, showing an increase in diameter and decrease in resistance indices with advancing gestation. Conclusion: Chronic hypertension does not alter cerebral hemodynamics of pregnant women. The protective effect of cerebral microcirculation as remodeling and hypertrophy, were not found in hypertensive pregnant women. The physiological changes of pregnancy can prevent or reverse this effect, which may predispose the brain to complications of an acute increase in blood pressure.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9061
Appears in Collections:PPGCM - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação UFF Flávia do Vale Araújo finalizada 2015.pdf1.5 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons