Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9158
Title: Ética, moral e processos de subjetivação: um estudo sobre a formação em psicologia 2018
Authors: Dias, Fábio Araújo
metadata.dc.contributor.advisor: Rego, Sérgio Tavares de Almeida
metadata.dc.contributor.members: Koifman, Lilian
Wermelinger, Mônica Carvalho de Mesquita Werner
Rego, Sergio Tavares de Almeida
Issue Date: 2018
Citation: DIAS, Fábio Araújo. Ética, moral e processos de subjetivação: um estudo sobre a formação em psicologia. 2018. 124 f. Dissertação (Mestrado em Bioética, ética aplicada e saúde coletiva) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2018.
Abstract: ética aponta para a reflexão sobre valores e princípios norteadores da vida humana e das práticas profissionais, e assume importância vital nos debates acadêmicos e sociais. O objetivo do presente trabalho foi compreender o processo de formação ética de estudantes de psicologia da Universidade Federal Fluminense, na cidade de Niterói - RJ. Para tanto, deu voz aos estudantes para que expressassem suas vivências e compreensões acerca desta formação por meio de entrevistas individuais de 30 alunos concluintes do curso de Psicologia (oitavo ao décimo primeiro período), tendo como base um roteiro semiestruturado. Para a análise dos dados, o método adotado foi a análise de conteúdo de Bardin. A maioria dos participantes da pesquisa (16 de 30, 53%) informou que tem experiência de estágio no Serviço de Psicologia Aplicada da Universidade, seguida da Saúde Mental (37%) e Hospital Universitário (20%), o que indica que a maior parte dos entrevistados referencia as práticas do estagiário de psicologia ao atendimento clínico. A resposta predominante sobre o que é ser ético no exercício profissional do psicólogo foi “respeitar o outro”, seguida de “sigilo” e “pensar no bem-estar do paciente / tratar bem o paciente”. Quanto aos valores que os entrevistados consideram importantes para a atividade profissional ou de estágio, a resposta mais recorrente foi “atitude de escuta / acolher sem julgamentos prévios”, seguida de “atenção/disponibilidade para o outro (aprender com o outro, estar com o outro, cuidar do outro)” e “respeito ao outro”. Diversas situações testemunhadas pelos entrevistados em que uma questão ética tenha sido colocada durante o curso de psicologia foram relatadas apontando para diversos contextos: estágio, disciplinas do curso, saúde mental, eventos universitários de Psicologia, violência doméstica, assédio moral, cotas, ocupação da universidade. Em termos de recurso ou apoio oferecido pela faculdade ou curso para possíveis soluções quando surge um conflito moral nas atividades acadêmicas ou de estágio, a maioria dos entrevistados (26 de 30 participantes, 87%) associou a supervisão de estágio ao apoio para possíveis soluções de conflitos morais, seguido de professores (53%), coordenação do curso (27%) e colegas do curso ou do estágio (23%). Por fim, defende-se que a formação ética deve permear a formação acadêmica e profissional do estudante de psicologia, e é promovida no debate entre professores, alunos e sociedade
metadata.dc.description.abstractother: Ethics points to the reflection on values and guiding principles of human life and professional practices, and assumes vital importance in academic and social debates. The present work aimed to understand the process of ethical education of psychology students at Universidade Federal Fluminense, in the city of Niterói - RJ. In order to do so, it gave a voice to the students to express their experiences and understandings about this formation through individual interviews of 30 graduating students from the Psychology course (eighth to eleventh period), based on a semi-structured script. For the analysis of the data, the method adopted was the content analysis of Bardin. Most of the research participants (16 of 30, 53%) reported that they have an internship experience in the University's Applied Psychology Service, followed by Mental Health (37%) and University Hospital (20%), which indicates that most of the interviewees refer the practices of the psychology intern to clinical care. The predominant answer to what is to be ethical in the psychologist's professional practice was to “respect the other”, followed by “secrecy” and “to think about the patient's well-being / to treat the patient well”. As for the values that the interviewees consider important for the professional activity or internship, the most recurrent response was “listening / welcoming attitude without previous judgments”, followed by “attention / availability for the other (learning from the other, being with the other, caring for the other)” and “respect for the other”. Several situations witnessed by the interviewees in which an ethical question was posed during the psychology course were reported pointing to different contexts: internship, course disciplines, mental health, university psychology events, domestic violence, bullying, quotas, university occupation. In terms of resource or support offered by the college or course for possible solutions when a moral conflict arises in academic or internship activities, the majority of respondents (26 of 30 participants, 87%) associated the supervision of internship to the support for possible solutions of moral conflicts, followed by professors (53%), coordination of the course (27%) and colleagues in the course or internship (23%). Finally, it is argued that ethical education should permeate the academic and professional education of the student of psychology, and is promoted in the debate among teachers, students and society
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9158
Appears in Collections:PPGBIOS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FABIO ARAUJO DIAS DISSERTAÇAO.pdf1.43 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.