Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9307
Title: Morbidade materna grave em hospital de referência regional no estado do Rio de Janeiro
Authors: Morse, Márcia Lait
metadata.dc.contributor.advisor: Fonseca, Sandra Costa
metadata.dc.contributor.members: Fonseca, Sandra Costa
Silva, Kátia Silveira da
Kawa, Hélia
Issue Date: 2010
Citation: MORSE, Márcia Lait. Morbidade materna grave em hospital de referência regional no estado do Rio de Janeiro.2010, 126f. Dissertação (Mestrado Saúde Coletiva) Universidade Federal Fluminense Niterói, 2010
Abstract: Resumo da dissertação de mestrado submetida ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do Instituto de Saúde da Comunidade da Universidade Federal Fluminense – UFF, como parte dos requisitos necessários para a obtenção do título de Mestre em Saúde Coletiva. Objetivos: Descrever a situação da mortalidade materna no Brasil nos últimos 30 anos, por meio de revisão bibliográfica e analisar a ocorrência da morbidade materna grave/near miss em uma maternidade pública de referência regional, utilizando diferentes critérios Métodos: A revisão abrangeu o período de 1980 a fevereiro de 2010, e usou as bases de dados Lilacs e Medline. O estudo de near miss foi descritivo, de corte longitudinal, sobre os casos de morbidade materna grave/ near miss de um Hospital de referência regional do Estado do Rio de Janeiro entre junho e outubro de 2009. Os casos foram identificados a partir dos livros de registro de internação da maternidade e análise dos prontuários clínicos. Foram estudadas mulheres que, durante a gestação, parto ou puerpério, atenderam aos critérios definidores de morbidade materna grave/near miss de Waterstone et al, Mantel et al e Organização Mundial de Saúde (OMS). Resultados: Na revisão, 50 artigos foram selecionados e mostraram declínio da Razão de Mortalidade Materna (RMM), sendo a principal causa de óbito as doenças hipertensivas. No hospital regional ocorreram 1544 internações no período e foram identificadas 89 mulheres com morbidade materna grave, considerando todos os critérios. As incidências de morbidade materna grave/near miss variaram entre 81,4 a vi 9,4 por 1.000NV, dependendo do critério utilizado. Das 89 mulheres, apenas 40% fizeram mais de seis consultas de pré-natal e 10% não realizaram qualquer consulta. Os marcadores mais encontrados foram a Pré-eclâmpsia grave, seguido de hemorragia grave, internação em UTI, Síndrome HELLP (Hemolytic anemia; Elevated Liver enzymes; Low Platelet count) e eclampsia. Conclusão: A RMM, embora em declínio, permanece em níveis acima dos desejados. Melhorias na qualidade da assistência prénatal e ao parto são necessárias, assim como a ampliação dos estudos de mortalidade e morbidade materna grave. O estudo da morbidade materna grave/near miss em um hospital de referência regional ontribuiu para o conhecimento da magnitude deste evento, como também identificar suas características e condições clínicas mais freqüentes, sendo importante para definir estratégias de redução da morbi-mortalidade materna
metadata.dc.description.abstractother: Abstract da dissertação de mestrado submetida ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do Instituto de Saúde da Comunidade da Universidade Federal Fluminense – UFF, como parte dos requisitos necessários para a obtenção do título de Mestre em Saúde Coletiva Objective: To describe maternal mortality in Brazil in the last 30 years, by a literature review and to investigate severe maternal morbidity/near miss in a tertiary public maternity in the state of Rio de Janeiro, applying different identifying criteria. Methods: The review involved an electronic search of scientific articles, dating from 1980 to February 2010, in the bibliographic databases Lilacs and Medline. The near miss study was descriptive and longitudinal, comprising severe maternal morbidity/near miss cases in a regional reference hospital, between June and October of 2009. The cases were identified from the analysis of the record books and the medical records of the maternity hospital. This study focused on women who, during pregnancy, childbirth or the postpartum period, showed no clinical symptoms compatible with the defining criteria for severe maternal morbidity/near miss of Waterstone et al, Mantel et al and the World Health Organization (WHO).Results: In the review, 50 articles were selected and showed a decline of the Maternal Mortality Ratio (MMR), being the hypertensive diseases the leading cause of death. In the regional hospital, among the 1,544 admissions during the studied period, 89 women viii with severe maternal morbidity were identified, considering all the criteria. The occurrence of severe maternal morbidity/near miss ranged from 81.4 to 9.4 per 1,000 NV, depending on the criterion used. Of the 89 women, only 40% had more than six prenatal appointments and 10% did not have any visit at all. The most common markers found were severe preeclampsia, followed by severe hemorrhage, ICU internment, HELLP syndrome (Hemolytic anemia; Elevated Liver enzymes; Low Platelet count) and eclampsia. Conclusions: The MMR, though declining, is far from the desired levels. Improvements on the quality of pre and perinatal care are needed, as well as more studies concerning mortality and severe maternal morbidity. The study of severe maternal morbidity/near miss in a regional reference hospital contributed to increase the knowledge about this event’s magnitude, as well as to identify its more frequent characteristics and clinical conditions, being of importance to help deal with maternal morbidity and mortality
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9307
Appears in Collections:PPGSC - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTACAO - 190.PDF457.62 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.