Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9737
Title: Lesões de pele em pacientes hospitalizados em contenção mecânica: estudo de coorte
Other Titles: Skin lesions in hospitalized patients with mechanical restraint: a cohort study
Authors: Souza, Márcia Veríssimo de
metadata.dc.contributor.advisor: Santana, Rosimere Ferreira
metadata.dc.contributor.members: La Cava, Angela Maria
Rembold, Simone Martins
Issue Date: 2019
Citation: Souza, Márcia Veríssimo de. Lesões de pele em pacientes hospitalizados em contenção mecânica: estudo de coorte. 2019. 107 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019
Abstract: O estudo teve como objetivo verificar a associação entre o surgimento de lesões de pele e a contenção mecânica, em adultos e idosos hospitalizados. Realizado em unidades de clínica médica e cirúrgica em um hospital público universitário, localizado no estado do Rio de Janeiro, Brasil. A coleta de dados ocorreu num período de aproximadamente 8 meses, com início em 07 de março à 25 de novembro de 2018. O total da amostra foi de 74 pacientes adultos e idosos, distribuídos distintamente em dois grupos de 37, sendo um em contenção mecânica, e o outro sem contenção, e ambos os grupos sem lesão de pele na primeira avaliação. Os dois grupos foram acompanhados por 15 dias em seis visitas aleatórias com intervalo de no mínimo 1 e no máximo 4 dias. As lesões identificadas foram lesão por pressão, lesão por fricção, e dermatite associada a incontinência. A lesão por pressão foi o tipo de lesão que se mostrou em associação à contenção mecânica, houve ocorrência de 10 casos com incidência de 27%, e um único caso no grupo sem contenção com 2,7%. A localização mais comum da lesão por pressão foi em região sacra. A classificação apresentou-se distribuída igualmente em estágio 1 e 2. O tempo do surgimento da lesão por pressão foi estimado em 11 dias de internação. Constatou-se que as chances de pacientes contidos apresentarem lesão por pressão foi de 13,3 vezes maior do que pacientes sem contenção. A incidência global de lesão por fricção foi de 5,4% (4 casos). No grupo de pacientes não contidos não houve incidência de lesão por fricção e no grupo de pacientes contidos a incidência de lesão por fricção foi de 10,8% (4 casos). E a incidência global de DAI foi de 9,5% (7 casos). No grupo de pacientes não contidos a incidência de DAI foi de 8,1% (3 casos) e no grupo de pacientes contidos a incidência de DAI foi de 10,8% (4 casos). A diferença entre estas incidências não é significativa sob o ponto de vista estatístico (p-valor=1,000 do teste exato de Fisher). Concluiu-se que, o uso da contenção está associado ao risco de surgimento da lesão por pressão. Recomenda-se a implementação de medidas assistenciais na avaliação criteriosa do paciente no uso de contenção mecânica, em conjunto com a prevenção de lesão por pressão. As medidas assistenciais visam restringir o tempo necessário e o acompanhamento no uso de contenção. Como produto da dissertação foi desenvolvido um vídeo educativo sobre os dados do estudo para divulgação ampla “Pela Cultura de não Contenção de Idosos” disponível em: https://youtu.be/2Lp6GzrHVQg
metadata.dc.description.abstractother: The study aimed to mark one between the appearance of skin lesions and a mechanical lesion in hospitalized adults and elderly. Performed in medical and surgical clinic units in a public hospital, located in the state of Rio de Janeiro, Brazil. Data collection took place over a period of approximately 8 months, beginning March 7 to November 25, 2018. The total sample was 74 by adults and the elderly, distributed in two groups of 37, one in mechanical restraint and the other without restraint, and both groups without expression of skin in the first evaluation. The two groups were followed for 15 days in 6 days of random interval with interval of at least 1 and at most 4 days. The lesions were caused by incontinence, dermatitis and friction-associated dermatitis. The case of pressure was the category of the w / the has a led in a congruent in the case in the case of the case of an process case with an analysis with 2.7%. The most common location of the pressure lesion was in the sacral region. The date was classified as 1 and 2. The recovery time of the lesion was evaluated in 11 days of hospitalization. It was found that the chances of patients in use were corrected by the patient's blood pressure. The overall incidence of friction injury was 5.4% (4 cases). In the group of unrestricted patients there was no incidence of Skins Tears and in the group of restricted patients the incidence of Skins Tears was 10.8% (4 cases). The overall incidence of Incontinence-Associated Dermatitis was 9.5% (7 cases). In the group of patients not included the incidence of Incontinence Associated Dermatitis was 8.1% (3 cases) and in the group of patients with the incidence of ICD it was 10.8% (4 cases). The difference between these incidences is not statistically significant (p-value = 1,000 from the Fisher's exact test). It was concluded that the use of restraint is associated with the risk of pressure injury. It is recommended the implementation of care measures in the careful evaluation of the patient using mechanical mechanics, together with the prevention of pressure injuries. As the assistance measures aim to restrict the time necessary and the monitoring in the use of containment. The product of the dissertation was an educational video about the study data for the broad dissemination of the “For the Culture of non-restriction of the older person”, available in: https://youtu.be/2Lp6GzrHVQg
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9737
Appears in Collections:MPEA - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marcia Veríssimo de Souza.pdf3.09 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons