Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9945
Title: Hipótese da produção compreensível : uma releitura à luz da psicolinguística
Authors: Javarini, Aline
metadata.dc.contributor.advisor: Correa, Paulo Antonio Pinheiro
metadata.dc.contributor.members: Correa, Paulo Antonio Pinheiro
Sebold, Maria Mercedes Riveiro Quintans
Bezerra, Isabel Cristina Rangel Moraes
Issue Date: 2012
Abstract: A presente dissertação é um trabalho de cunho teórico que tem por objetivo analisar a argumentação a favor da Hipótese da Produção Compreensível presente nos artigos de Swain (1985; 1993; 1995), Kowal & Swain (1994), Swain & Lapkin (1995), buscando nos referenciais teóricos do emergentismo/conexionismo contribuições que venham a fortalecer o arcabouço teórico da referida hipótese. Para a abordagem emergentista/conexionista, a linguagem é um sistema complexo e emergente, pois, em oposição a teorias que propõem uma faculdade da linguagem e que defendem a existência de uma Gramática Universal, defende-se que as regras da linguagem emergem como resultado da interação entre processos cognitivos de domínio geral, processos de interação social e experiência. (N. Ellis et. al., 2008). Buscamos responder às seguintes questões de pesquisa: quais são os modelos de Aquisição de Segunda Língua adotados nos trabalhos de HPC? Qual a natureza das evidências que fundamentam a argumentação a favor da hipótese? De que forma uma leitura psicolinguística dos fatos apresentados como processos cognitivos desencadeados em momento de produção – considerados como capazes de auxiliar o processo de aquisição – poderia contribuir para referendar a hipótese HPC? Entre outros resultados, constatamos que as pesquisas empíricas conduzidas até hoje sobre a HPC não foram capazes de dar sustentação à hipótese no que diz respeito à aquisição de L2 – elas não comprovaram se a produção seria uma fonte de sucesso na aquisição e de que forma isso se daria. Argumentamos que parte deste insucesso refere-se à necessidade de adequação das bases teóricas da HPC a uma teoria de aquisição de L2, que sirva tanto para revalidar a argumentação a favor da hipótese quanto para fundamentar investigações empíricas. Esta é a tarefa deste trabalho.
metadata.dc.description.abstractother: This paper analyses the arguments that are used in favor of the Comprehensible Output Hypothesis, searching for theoretical support in the emergentist/connectionist approach to second language acquisition, which sees language as a complex adaptive system. This perspective is opposed to innate theories of language and states that the regularities of the linguistic system emerge as a result of the interaction between general domain cognitive processes, social interaction and experience. (N. Ellis et. al., 2008) Our goal was to provide answers to the following questions: what are the models of second language acquisition adopted in the articles on COH? What is the nature of the evidences presented as a support to the arguments in favor of the hypothesis? How can a psycholinguistic view of the facts presented as cognitive processes triggered by output – regarded as relevant to the process of second language acquisition – help validate the COH? Among other results, we found that the empirical researches conducted about the COH up to now were not able to prove that output does play a role in second language acquisition and how that would happen. In part, so our argument goes, it happens because of the need of adapting the theoretical bases of the COH to a theory of second language acquisition capable of providing theoretical tools for investigating the cognitive processes involved in second language acquisition. Such is the task of this paper.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/9945
Appears in Collections:POSLING - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
versão final dissertação Aline Javarini.pdf615.48 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons